28.4.11

Espaço Ciferal - meu novo EP, Merchandising Carbona


Ao som de “Face to Face”! Ontem retomei os trabalhos na gravação do meu EP. Depois de gravar guias e baixo na casa do Bjorn, ontem “me mudei” para o estúdio do Nervoso (Beach Lizards, Autoramas, Matanza, Nervoso e os Calmantes) onde gravarei tudo que tiver que entrar ( teclados, solos, barulhinhos espaciais) para depois finalmente colocar violão e voz no “melhor do mundo estúdios” onde gravei com o Carbona seu último disco.

Fiquei animado com a retomada do projeto. Estava tendo uma certa dificuldade com o conciliamento das “agendas” de todo mundo, mas agora conseguirei acelerar o processo. Durante essas 3 semanas desde que comecei a gravar o projeto “andou” e ai vão algumas novidades:

Já temos um nome! “ESPAÇO CIFERAL” será o nome do EP e terá capa ilutsrada em fase final de ajustes por http://www.victorstephan.com.

Outra novidade é que “Pés no Chão”, música de Gustavo Kaly ganhará um vídeo feito por Sergio Vato. Eu já mandei a guia pra ele e as filmagens já começaram e eu até já vi um “rough” das imagens. Uma música de um catarinense, que mora em São Paulo, gravado por um carioca e que ganha um vídeo filmado em POA! Sergio construiu uma “engenhoca” que prende sua câmera na cabeça e saiu por ai filmando o mundo dessa interessante perspectiva”.

Daqui pra frente colocarei por aqui todas as novidades.

Saideira do post: o “Dr. Fujita contra a abominável mulher tornado” ganhou versão física, em cd, e está à venda em lojas de merchandising . Click no link abaixo

Fiquem na paz! Fiquem no Rock!

23.4.11

Fotos! Fotos! Fotos!


Aproveitando os dias do feriado para colocar coisas em dia. Uma delas, reunir fotos dos 15 anos de Carbona que estavam espalhados em cds, emails, espaços digitais. Avancei bastante nesse trabalho e coloquei dezenas delas na página de fotos aqui do Blog (olhar link ai em cima). São fotos tiradas ao longo de todo esse tempo. Fotos tiradas por nós, por fotógrafos, por fãs, registros que contam um pouco dessa estória. Quer dar uma sacada? So clicar no link do Menu acima.

Paz e rock!

18.4.11

Vídeos do Hangar 15/04/2011

Artur Palma dos Sluggs me mandou um tweet no meio da semana perguntando se a gente gostaria que filmasse o nosso show uma vez que ele estava com equipamento por la pra filmear os Sluggs, nos presenteando com um registro muito bacana do show de sexta no Hangar 110. Aqui temos os registros de “Valentina” e “O Mundo sem Joey” com participação especial de Gustavo Kaly, autor da música. Kaly além de escrever “O Mundo sem Joey” , compôs “Os lindos refrões que um velho ensinou” e “Dançando the doors com garotas ao redor”. E pra não perder o embalo, gravarei “Pés no Chão” no disco que estou gravando agora. Agradeço aqui mais uma vez pelos vídeos. Paz e rock!

17.4.11

Carbona no Hangar 110!

Nesta sexta-feira estivemos no Hangar 110 em São Paulo para fazer o lançamento do cd “Dr. Fujita Contra a Abominável Mulher Tornado”, ao lado dos amigos do Fistt, The Sluggs e Slot. Tenho vivido uma fase de satisfação na minha relação com a música. Acho que alcancei uma nova compreensão do significado de continuar fazendo música, música que eu gosto, de forma incondicional, e tenho buscado aproveitar os momentos que a gente consegue gerar para viver a música e a banda. Gosto de voltar ao palco do Hangar 110 por que além de muito divertido, eu tomo contato com um rock que acredito, um rock de circuito, num lugar que leva a sério a música e que trata as bandas com respeito e seriedade. (Fotos abaixo tiradas no backstage Hangar 110)

Encotramos amigos por lá, amigos que estão nessa há muitos anos e destes encontros, sempre encontro motivação para seguir. Estamos vivendo uma fase de dificuldades para quem faz música. Uma dificuldade que se apresenta em diversas esferas. O circuito independente que se estruturou rapidamente em torno da revolução digital, da gravação barata, do lançamento de cds, parece sofrer com sua segunda fase, onde a música gravada perde força, o MP3 se alastra frente ao interesse crescente pela música não paga. Essa situação combinada com o esvaziamento de shows e o alto custo para colocar uma banda na estrada, tem dificultado um pouco as coisas. Mas o fato é que temos feito um esforço para não deixar isso nos tirar a vontade de fazer música. E assim a gente segue com muitos planos, envolvam ele shows ao vivo ou não. Fiquei muito feliz com todos os shows da noite. Os Sluggs com vocais alternados entre um cara e uma garota com melodias muito bacanas, o Slot que se mostrou como uma incrível banda de rock ( um dos shows mais bacanas que vi recentemente), o Fistt detonando há 17 anos eum show do Carbona que me fez lembrar muito os primeiros dias. O Melvin comentou comigo ontem no telefone sobre nosso novo setlist de show. De fato a gente parece ter encontrado com os 3 discos em português um set bem dinâmico com emendas de 5, 6 músicas e acho que isso tem consolidado nossa “onda” de muito som e poucas palavras. No final do show, fizemos algumas músicas não programadas como “All my friends are falling in love”, “Rockaway beach” com a participção de “douglinha”, atendendo à pedidos de uma galera de Sorocaba que foi pra São Paulo ver o show “O mundo nathalia e a lasanha” e vale destacar também a participação de Kaly em “ O mundo sem Joey”. Neste show, vi o cd “Dr. Fujita” pela primeira vez. (verso do cd abaixo com foto de Bruno Baketa)

O projeto gráfico ficou bonitão, fiquei feliz em ver o cd “viabilizado” pelos selos “Balboa”, “Pisces” e Thirteen Records. Uma pena ter constatado que teve algum erro ou no encarte ou no cd máster que fez com que músicas ficassem invertidas. Um vacilinho que não vai tirar a graça nem vou esquentar minha cabeça. Que venham outras prensagens certas e fique essa , conhecida como a prensagem da ordem errada. A viagem também serviu para eu botar o papo em dia com André Tor e Kaly com quem estou desenvolvendo um projeto envolvendo o EP que estou gravando. Últimas linhas dedicadas a todo mundo que foi ao show, cantou nossas músicas, vestiu nossa camisa ou simplesmente se divertiu por lá. Entendo cada vez mais a magia disso tudo e sou cada vez mais grato pelos momentos felizes que a música me proporciona. Assim que tiver novas fotos e vídeos do show vou colocando no post. Fiquem na paz! Fiquem no rock!

14.4.11

Set list Hangar?

Hoje é dia de ensaio. Amanhã dia de show. Deste set sairá o show de amanhã com uma ou outra alteração. A semana passa em meio a uma grande correria, mas hoje, com a proximidade e com ensaio já começo a entrar no clima "show no Hangar 110" que é sempre uma grande alegria! Go!

12.4.11

Trama Virtual Estendido!


Hoje foi ao ar minha participação no impressão digital no Trama Virtual Quem quiser dar uma sacada click no link abaixo e aqui no Blog resolvi dar uma estendida na brincadeira.

http://tramavirtual.uol.com.br/noticia/2011/04/impressao-digital-henrique-badke

Um rápido bate papo falando sobre “as boas do momento”. Músicas, vídeos, bandas e até mulher pelada (risos). Quem tem acompanhado blog e twitter já anda sabendo que estou ligado na dica do meu amigo Melvin que me apresentou Frank Turner. Cancioneiro oriundo do circuito punk rock que faz músicas “pra cima” com melodias incríveis!

Outra banda também que já havia postado aqui no site algumas vezes é o Gaslight Anthem Esta é uma banda que descobri em pesquisas no trabalho que me levou até a revista Spin, fui dar um confere no som dos caras e Bingo! Virou daqueles discos que te acompanha por semanas a fio. O nome do disco dos caras que me pegou foi american Slang. Uma mistura de rock à la Bruce Springsteen com punk rock. Mais ou menos isso.

Sobre capas, duas me chamaram atenção recentemente. A do Devo que me lembrou muito o Taito Não Engole Fichas ( consequentemente dias muito divertidos) e a capa e todo o projeto gráfico pelo Victor Stephan para os Pedrero. Um trabalho incrível, dedicado, que mostra que a música “com capa”, com conceito é ainda mais divertida. É mais completa. Tive a felicidade de ter uma ilustração de Victor Stephan para o EP que estou trabalhando agora e que lançarei dentro de 60 dias! Quem quiser conhecer a arte de Victor Stephan pode visitar seu site http://www.victorstephan.com . Muito em breve divulgarei aqui capa e nome do meu EP.

Sobre o livro “Quem me mostrou o caminho – um cachorro” é um livro que fala sobre a beleza do simples, o complexo por trás do comum, trocando em miúdos fala sobre a forma e o olhar viciado que encaramos a vida, virando vítimas da rotina e de uma postura de rotina, quase desinteressada pelas coisas e pessoas ao redor. Aos poucos, exercitando você começa a ver conteúdo em todos os cantos. Em tudo que você faz. Até que a vida começa a se mostrar muito, mas muito mais interessante. Algo com ver beleza na música dos Ramones!

Sobre o melhor show, trata-se de uma apresentação que o Wander Wildner fez recentemente aqui no Rio. Melvin no baixo, que toca comigo no Carbona e que vem se mostrando um baixista diferenciado e de dedicação louvável ao rock. Barba Hermanos na batera e na guitarra “jimi Joe”, uma personalidade do rock gaúcho. Acho seu disco incrível eo show reuniu o melhor de Wander Wildner, algumas de Jimi joe transformando uma segunda feira de ventania numa gfrande noite. Sair na segunda é pura poesia. Princiapalmente , quando se tem que acordar cedo na manha seguinte pra trabalhar J

Último cd e download ficou por conta do novo do DEVO , banda “Mucho loka”, bem afrente de seu tempo, que apareceu na minha vida junto com os Ramones há décadas atrás e do novo do REM que talvez ainda não tenho conseguido entender a “onda” do disco. Foi sucesso de fãs e crítica. Portanto talvez seja uma questão de ouvir mais.

Sobre a celebridade nua, bem a Sandy anda dizendo por ai que tem lado Devassa, então achei que seria justo ela mostrar pra ela.

Lastm but not least, ou finalmente mas não menos importante. Johhny ou Bem Weasel?

Joey Ramone!

Paz e Rock!

10.4.11

Gravação Dia #2


Segundo dia de gravação. Fui até o “Bjorn Estúdio” pra colocar baixo em todas as músicas. Melvin fez sua especialíssima participação que vai muito além de colocar baixo nas músicas. O processo é todo muito legal. O cara me chega lá sem conhecer direito as músicas, vai ouvindo, discutindo climas, testando coisas, gravando takes, consertando aqui e ali, propondo diferentes dinâmicas pras músicas. Começou gravando pelo refrão de “As coisas vão mudar para melhor”, fez partes finais, virou e falou “cara, essa música devia ter baixo somente nos refrões” para dar uma dinâmica diferente e bombar ainda mais esse refrão que é meio alegre. Na seqüência já imaginamos um coro nessa música ( que será prontamente adoado) e assim passeamos pelas 6 músicas. Bjorn ao longo da semana andou testando algumas coisas percursivas. Aplicando a tradicional “pandeirola” nos refrões, tudo muito simples, tudo muito bacana. Ontem já comecei a ter uma melhor noção de como a coisa vai ficar. E Estou ficando muito feliz com o resultado. As músicas do CARBONA sempre nasceram assim, violão e voz, e há muito tempo venho pensando em fazer registros desse jeito. Escrevi 5 músicas, peguei mais uma do Kaly “Pés no Chão” que tinha sido oferecida ao Carbona e embora tenhamos gostado muito acabamos não gravando. Esse tem sido um dos pontos altos do projeto. Fazer junto com amigos. Amigos que aportam tempo, trabalho, criatividade ao trabalho e que por isso sou muito grato. Me preparo para fazer um disco com capa de Victor Stephan, com fotos de Bruno Baketa que também registrou o Carbona no Dr. Fujita, Bjorn vem “encabeçando” gravação, Melvin tocando e participando, “comprando o barulho” e agora Sergio Vato, da banda Los Vatos de porto Alegre, dará vida a um vídeo para “Pés no Chão”. Assim a gente caminha. Quinta-feira que vem tenho ensaio com o CARBONA e na sexta estaremos em São Paulo, no Hangar 110. Apareçam! Fiquem na paz e no Rock!


5.4.11

Guias!

Ontem foi dia de ouvir incansavelmente as guias de gravação. Pela primeira vez ouvi as músicas em sequência. Já deu pra ter uma primeira idéia de como as músicas funcionarão juntas. Fiquei bem feliz com o resultado. Agora ao longo da semana é pegar um pouco de cada hora que sobrar pra fazer o "dever de casa". Ontem fiz um mapa de que instrumento deve entrar em cada música, quais músicas tem solo, construir backings e revisar letras. Próxima sessão de gravação deve rolar no domingo, quando gravaremos baixo, ukulele e escaletas. Os solos eu vou compor agora mas só gravarei no estúdio na hora de gravar voz e violão. Na casa do Bjorn serão gravados tudo que não precisa ser microfonado basicamente. A terça começou cedo e acabará tarde! Vou nessa! Abraço! paz e Rock!

3.4.11

Gravação dia 1

Ufa! Depois de algumas semanas de atraso comecei a gravar meu EP! Serão 6 músicas inéditas, num formato diferente do CARBONA mas que ao mesmo tempo saem do mesmo universo criativo, o incrível mundo dos “3 acordes”. Melodias grudentas em cima de bases simples que ganham vida através de violão, voz, baixo e outros instrumentos como ukulele, escaleta, teclados e “barulinhos espaciais”.

Estou muito feliz. Muito feliz de gravar este disco por que ele resulta do meu reencontro com a vontade e prazer de fazer música de forma incondicional.

No período em que fiquei sem compor entre o “Apuros” e “Dr Fujita” com o Carbona cheguei a pensar em 1000 motivos para largar a música mas nenhum deles foi forte o suficiente para evitar que eu acordasse de manhã e pegasse o violão para compor e escrever músicas. Entendi que a minha ligação com a música era mais forte do que qualquer pergunta ou resposta que pretendesse dar conta do utilitarismo das coisas. Tocar pra que? Por que tocar? E hoje entendo que faço por que tem que ser feito. Queira eu ou não , estas canções estão lá. Do meu jeito, com poucos acordes e com pouca técnica, elas me fazem feliz! Não faço da pouca técnica uma bandeira, é apenas um fato. Foi o jeito que eu aprendi, estudando no Rock n Roll High School dos Ramones, e que me levou à mais de 600 shows.

O Carbona segue na ativa. Estamos fazendo shows de divulgação do “Fujita” e assim que terminar de gravar estas canções, começo a compor um novo disco pra ser gravado no segundo semestre desse ano.

Agora vamos ao primeiro dia de gravação!

Começamos hoje a trabalhar na casa do Bjorn (toca guitarra no Carbona e vai produzir a gravação) nas guias de violão e voz. Marcamos a estrutura de todas as músicas. São elas: “O Lutador”, “Fotomontagem”, “ Andróides não merecem as canções”, “Urbânia Decide Viver”, “As coisas vão mudar para melhor” e “Pés no Chão” de Gustavo Kaly (autor das músicas “O Mundo sem Joey” e “Lindos Refrões que o velho ensinou”). Gravei violão base montando a estrutura das músicas, depois gravei vocal em todas elas. Bjorn vai mandar estes arquivos para mim e para o Melvin que vai me ajudar tocando baixo e os outros instrumentos. Ao longo dessa semana vamos todos ouvir e trabalhar na composição e arranjos e nos juntaremos de novo no outro fim de semana para gravarmos “baixo”, “Ukulele” e “escaletas”. Uma vez que tivemos tudo isso gravado, vou para o estúdio, o mesmo em que gravamos o “Dr Fujita” para gravar Violão, vozes e solos de violão e concluir a gravação.

As novidades eu vou contando por aqui! Fiquem ligados! Abraço. Paz e Rock!