28.9.06

Um (bom) papo com Ryza Azevedo!

Ontem bati um bom papo com Ryza Azevedo que faz pesquisa sobre influêcia da internet na vida de bandas que estão surgindo com o objetivo discutir como a internet cria uma nova relação entre espaço e tempo de interação social, modificando as formas de comunicação de forma exponencial. Pretende observar o que faz com que a mídia perceba os novos talentos que estão fazendo sucesso pela rede. Achei o tema bastante interessante, de grande interesse pra mim e acredito que para todos que estão envolvidos com produção artística ou até mesmo como simples fã de música. Não acredito que o CARBONA seja exatamente um fenômeno de internet mas sem dúvida uma banda que ao longo dos dez anos construiu muitas coisas com o apoio da grande rede. Além disso é o tipo de entrevista bacana de fazer e de responder, bem diferente das que costumamos fazer. Pra quem gosta de entrevistas, de web ou simplesmente de ler as palavras do velho BADKE, aí vai:

1. Qual foi a primeira estratégia usada por vocês para se lançarem no mercado? Quando gravamos nossa primeira demo em 1997 , estávamos começando a "navegar" na web. Empolgados com a nova ferramente arriscamos alguns contatos em outros continentes e acabamos lançando nosso primeiro cd por um selo canadense (AMP RECS) e fazendo nossos primeiros shows por lá. Isso abriu algumas portas por aqui quando voltamos, além do aprendizado em torno de tournes independentes. Voltamos pro Brasil despertando curiosidade e empolgados pra aplicar aqui coisas que aprendemos por la, onde o cenário de música indie era mais desenvolvido.
2. Como vocês faziam no início da carreira para divulgar a banda? Gastando sola de sapato, cola e dinheiro de xerox (risos). Os 3 Carbona Ja haviam tocado em outras bandas , eu particularmente comecei em 1993, era dos fanzines de xerox, cartas e telefone. Nao havia internet. Isso nos obrigava a estar na rua : colando cartazes, filipetando, procurando imprensa tradicional. Estes conceitos so ganharam força com a chegada da internet. A gente sempre procurou fazer da internet um complemento, um algo mais na divulgação, mas não um substituto total das velhas formas de divulgação. Podemos dizer que hoje é a principal Mídia para o trabalho de divulgação indie, mas não funciona sozinho. Existe uma idéia de que ter banda/trabalho artístico é igual abrir um FLOG, BLOG, MYSPACE e mandar Spams. O trabalho de produção vai com certeza bem além disso.
3. Quantos CDs vocês já gravaram? Quantos independetes? Quantos venderam? Acabamos de gravar nosso oitavo disco (ainda não lançado) e juntando os 7 lançamentos chegamos na casa das 18.000 cópias vendidas. Todos independentes através do selo 13 RECS de São Paulo.
4. Fale sobre esse projeto novo de vocês que será lançado em outubro. Estamos lançando nosso oitavo disco, chamado PING PONG, pela Revista Outra Coisa , um projeto do Lobão que traz mensalmente um novo trabalho às bancas encartado na revista. Consideramos uma grande conquista pois estaremos figurando ao lado de grandes nomes já lançados pela Revista como Arnaldo Batista, Plebe Rude, B Negão, Wander Wildner dentre muitos outros. Além disso, a Revista oferece a possibilidade de fazer o disco chegar lugares antes não alcançado por problemas de distribuição. É motivante participar de um projeto que faz o seu disco chegar a todos por um preço honesto R$ 15,00 (cd + revista), acompanhado de muita informação já que a revista além da matéria do CARBONA com quase 10 páginas, tras uma série de outras linhas escritas por um corpo editorial de primeira.
5. Fora do Rio, onde já fizeram shows? Estamos próximos de completar 400 shows ao longo de quase 10 anos. Já tocamos em todas asregiões do Brasil exceto a região norte. Destes 400 shows certamente, mais da metade foram fora do Rio. Essa é na verdade minha grande conquista até aqui. Conhecer meus país a serviço do rock!

6. Já participaram de programas de televisão, quais? Ao longo dos anos já participamos de inúmeros programas em veículos tradicionais. Não tenho aqui uma relação deles mas posso citar alguns veículos que abriram as portas pra gente: RBS/RS , MTV, Multishow, TVE dentre outras retransmissoras nas cidades do interior.

7. O que rende dinheiro de verdade: CDs ou shows? Dinheiro de verdade? (risos). De verdade mesmo? Nada! Ok, isso foi uma brincadeira. A venda de cds vem caindo nos últimos anos. O público de rock está cada vez mais conectado à web e a percepção de valor de um cd assim como a forma de consumo de música vem mudando muito. Aos poucos vamos vendendo em nossos shows mais camisetas e acessórios do que cds. As vendas estagnaram e os downloads aumentaram. Hoje , temos uma realidade onde sem dúvida ganhamos mais dinheiro com os shows.

8. Vocês disponibilizam músicas na Internet? O que você acha que faz o público continuar comprando CDs? Sim nós disponibilizamos músicas na web com finalidade de divulgação, mas olhamos de forma bem atenta pra isso. Existe sim um problema sério hoje envolvendo a alteração na percepção de valor da música. Músicos vivem de música e se ela é oferecida de graça você cria um problema pra você. Por outro lado algumas movimentações na indústria são definitivas e não tem como ir contra. A nova geração consome música sem as limitações do espaço físico. Um álbum era um álbum pois deveria caber num vinil. Hoje já se houve música fragmentada. As pessoas parecem não mais se preocupar com conceitos de disco e etc. As vezes acho que estaríamos voltando a era dos singles e 7"s so que virtual. Estamos vivendo no olho do furacão, acredito que daqui há alguns anos as coisas ficam mais claras. Quanto ao público que compra cds, acho q isso esta mais ligado a um habito de gerações passadas. Outro dia fuina FNAC e pude perceber que você não vê ninguém com menos de 30 anos comprando CDS. As pessoas compram, não creio que vá acabar, mas acho que teremos sim uma migração de volume do cd para novos formatos de comercialização de música.
9. Vocês costumam responder, pessoalmente, os e-mails dos fãs? Como é a relação de vocês com os fãs hoje? Sim respondo TODOS os EMAILS de fãs. Tem sido assim ao longo dos 9 anos de banda. No entanto, não respondo todas as mensagens deixadas em orkut e outros espaços da banda na web. Meu Orkut tem uma mensagem dizendo que contatos sobre a banda devem ser feitos por email. Minha interação com fãs começou com carta, aos poucos vi as cartas serem substituídas por emails, Hoje vejo o numero de emails caindo pois grande parte desse contato e feito pelo Orkut mas não tenho como dar conta de comunidade, dois profiles no orkut, blog, blog da banda, é um fluxo de info. Muito grande e elegi o email como canal oficial de contato com fãs. Até por que é uma coisa mais íntima, e a pessoa tem q dedicar 5 segundos pra fazer o contato. Convenhamos que 5 segundos AINDA não é muito tempo na correria do dia a dia certo? Nós sempre abrimos caminhos de diálogo e comunicação com o público e somos o tipo de banda que ao longo da caminhada demonstrou gratidão e retribui com atenção. É uma relação por vezes difícil mas muito gratificante.

10. Todo mundo sabe da dificuldade de divulgação das bandas novas, por causa do jabá das gravadoras. Como vocês pensam em conseguir atingir as grandes mídias? Trabalhando pra caralho, gastando sola de sapato, gasolina e mantendo o brilho nos olhos. O sistema cultural é injusto e diante dele a gente desiste ou luta. Escolhemos lutar e seguiremos dessa forma enquanto a gente sentir paixão pelo que faz. A gente não é ingênuo sabe que o jabá impera e determina mas não se curva diante disso. Ao longo dos anos conseguimos mostrar a vários veículos o nosso trabalho incessante e como indie temos portas abertas em vários deles como por exemplo MTV , Multishow e Jornal o Globo para citar alguns deles. Agora esses espaços foram conseguidos muitas vezes a base de envio de material ao longo de 4, 5,6 anos. Não sei o quão longe podemos ir sem apoio de estruturas maiores, mas a gente segue pelo menos abrindo caminho para o nosso nome. Dessa forma, se um dia estivermos batendo na porta da mídia através de uma grande gravadora, as pessoas saberão deonde veio o nome CARBONA e que não somos um "sabonete" e sim uma banda com estrada.

11. Acredito que o orçamento de vocês deve ser pequeno. Como são, por exemplo, as viagens, a produção de clipes, os sites na Internet? O que você acha que poderia fazer se tivesse um orçamento maior? Viagens são pagas pelo contratantes de shows. Clipes só fizemos 02, infelizmente, justamente por questões orçamentárias. Geralmente são feitos com grana do selo, grana de shows, e ajuda e boa vontade das pessoas que decidem entrar na empreitada. Se tivesse um orçamento maior, faria meu som chegar para um número maior de pessoas, teria uma vida musical mais ativa, faria mais shows. Mas a gente chega lá!

Ainda ontem, nessa vida vivida fizemos nosso primeiro ensaio oficial de preparação para os shows da PING PONG Tour! O show de lançamento do disco acontece no dia 24 de outubro e já temos datas de shows agendadas em diversas cidades. Muito em breve estaremos divulgando isso. Nosso ensaio ontem ficou resumido a tocar as 12 músicas do cd para escolhermos aquelas que estarão sendo tocadas ao vivo. Esse é um processo muito difícil por que a gente ainda não tem retorno da galera que acompanha nosso trabalho. Os primeiros shows geralmente são feitos em cima das músicas que a gente curte tocar e ao longo das semanas a gente vai afinando repertório. Algumas músicas do disco já foram submetidas ao “test drive” como VIDE BULA que vem sendo já há laguns meses a música de abertura dos shows e sempre muito bem aceita, EU SOU DOENTE eu toquei nos shows que fiz acompanhando os Magaivers de Curitiba e SESSÃO DA TARDE que já é conhecida da galera pois foi disponibilizada em versão demo na Trama Virtual. Além dessas três tocaremos possivelmente mais umas 3 ou 4 do disco novo. Fico por aqui jovens! Paz e Roc a todos vcs!

26.9.06

MASTER ENTREGUE + EU SOU UM ROBOTO na pele!

Correria, correria, correria. Em outubro eu faço 31 anos, em outubro eu lanço mais um disco com o CARBONA. O oitavo deles. Nunca fizemos grandes planos com a banda, sempre tivemos grande satisfação e dedicação à banda. Ensaios semanais, composições diárias, shows ao longo dos meses, dos anos. Hoje em dia, pratico diariamente o exercício de olhar pro hoje e quando muito, pro amanhã. Não gosto de olhar pra trás. Memórias, aos montes, conquistas aos montes, músicas aos montes mas acabo me preocupando mais com o q posso viver ainda pela frente. Acho que assim funciona melhor, além de fechar as portas para fantasmas. Andar 4, correr 4 , sempre em frente. Do passado, somente aprendizado. Sigo escrevendo páginas de aventura na minha caminhada.

Até aqui a minha vida musical foi mais intensa do que um dia eu podia imaginar. Foi também mais custosa do que eu podia imaginar. Já deixei muita coisa na pra trás, trouxe comigo muita coisa também. Maioria delas na alma, e na mente. Por que na prateleira e na parede, apenas cds e guitarras. Pra ser mais preciso três guitars.

Em 1992 eu não consegui participar de um sarau pois não sabia tirar músicas. Resolvi então escrever minhas próprias músicas. Isso me dava uma certeza: minhas músicas são minhas e dentro da minha perspectiva elas são boas e isso me permite ter uma banda. Na semana seguinte, me juntei com alguns amigos que não eram populares nas rodas de violão do colégio, e assim como eu usavam camisas pretas de rock e formávamos uma banda : Barneys. Com eles toquei até o ano de 1998 quando junto com Pedro e Melvin, formamos o CARBONA. A filosofia era mais ou menos a mesma. Fazer. Existir. Tocar, Viver. E assim tem sido ao longo dos últimos anos.

A onda continua a mesma. Não digo que continuo sabendo apenas os mesmos acordes por que outro dia usei em uma música um “Si menor com sétima”, isso pelo menos foi o que me disseram, e nem me recordo ao certo se foi isso. Outro dia recebi um email de um moleque, fã da banda, porém intrigado com o motivo pelo qual eu usava em algumas músicas do CARBONA os acordes, A F# D e E. Urbânia é assim, Vertiplano é assim, e não seria necessário me esforçar muito pra lembrar de outras canções que usam essa progressão. Expliquei pra ele que ainda não desisti de chegar perto de uma das minhas canções favoritas de todos os tempos: SLUG , dos Ramones! (Risos). Talvez seja por isso, um motivo tão bobo quanto esse. Às vezes acordo e penso : é Hoje!

Meu grande desafio e prazer enquanto compositor é contar estória através de melodias bacanas em cima das bases clássicas de rock. É o que faz meu sangue correr, é o que me emociona, é o que me motiva. Dentro desse universo do rock básico três acordes, criado e eternizado pelos Ramones, aprendi que existem sim certas limitações mas que elas não são capazes de segurar o meu prazer, alegria e capacidade de me emocionar com as músicas. Me emociono a cada vez que pego um discos dos Ramones, do Dee Dee, do Queers ou do Screeching Weasel pra ouvir. O mesmo posso dizer quanto aos Muzzarellas, Magaivers e Zumbis do Espaço. É baseado nessa certeza de fã, que encontro mais satisfação de fazer, compor e tocar.

Neste novo disco conseguimos reunir um pouco de cada coisa. A abertura do disco nos lembrando os primórdios de GO CARBONA e BACK TO BASICS. Passamos por músicas mais velozes introduzidas na banda a partir do TAITO como 1001 doses. E com o óbvio e emocionante recheio Carbônico com as boas e velhas estórias contadas através dos 3 acordes! Um pouco de cada coisa, formando um TODO CARBONA muito legal.

Gravamos em condições diferentes, num processo diferente. Pela primeira vez gravamos com um produtor. Alguém que nos acompanhou em 8 ensaios de 4 horas, ouviu as músicas, e discutiu com a gente detalhe por detalhe (mesmo sendo poucos detalhes). Alguém que se propôs a mergulhar no universo da banda, entende-la e a partir daí contribuir e participar do disco com a gente. Reunimos uma porrada de gente fodona pra trabalhar e tocar esse disco pra frente. O Victor Lima ( vocal do Cooper Cobras e ilustrador) nos presenteou com uma bela ilustração pra capa, Brenda Garret demonstrou incrível dedicação na elaboração do projeto gráfico do disco, tanto na parte criativa quanto no vai e volta comum nos trabalhos dessa área, Marcos Bragatto e todos na Revista Outra Coisa, A galera da Toca do Bandido, todo mundo fazendo uma seleção brilhante que as vezes eu olhava pros lados e pensava : PQP! É o CARBONA, indie, viabilizando coisas muito bacanas e motivantes para continuar o corre.

Agora, com o disco Pronto, vem a parte bacana que é poder disponibilizar pra galera que curte a banda um disco novo com material inédito e renovar o ciclo vital para a estória toda: gravar, lançar, tocar, viver!

A master do disco foi entregue e será lançado pela Revista Outra Coisa no dia 21 de outubro. Novas músicas, novas estórias, a velha filosofia. Dia 24 de outubro tem o lançamento oficial do disco aqui no Odisséia no Rio de Janeiro. No dia 28 de outubro estaremos no PR e SC. Mais datas a caminho. A gente fica por aqui. Ping! Pong!

Nos minutos que restam na correria fiquei pesquisando na web imagens para mais uma Tattoo! Estou atrás de robots antigos e achei algumas referências bem bacanas. Algum desses vai parar no meu braço esquerdo. Junto com o dizer Eu SOU um ROBOTO!
Paz e Rock amigos!

24.9.06

ENFIM UM DIA PARA FAZER NADA!

Nada! É o que fiz hoje. Depois de 30 dias frenéticos envolvendo gravação de disco, produção e correria para colocarmos mais uma vez o "bloco na rua", ou a banda na rua, consegui viver um dia de "sofá". Três jogos de futebol, um espanhol, um inglês e um brasileiro, um filme de Elvis no Telecine Cult e assim passei um incrível domingo! Estava precisando depois do "corre corre" das últimas semanas. Na sexta fui até a Magic Master para ouvir e fechar a "master" do nosso novo álbum. Fiquei felizão com a conclusão de mais um disco do BONA e com a perspectiva de mais um ano de rock! Como o dia hoje é de fazer nada, vou ser breve por aqui. Fiquem em paz! Fiquem no Rock! H!

21.9.06

VIDEO CLIPE!

Ontem foi dia de voltar mais uma vez ao Baixo Gávea para falarmos dessa vez da produção do vídeo clipe do disco. Nossa experiência nos últimos dois discos mostrou ser esta uma das mais eficazes ferramentas de divulgação. No Taito nós fizemos nosso primeiro vídeo clipe, FLIPERAMA, dirigido por Samir Abujamra e Fabiano Maciel. O clipe foi bem veiculado na MTV, ficou 13 semanas no central , num horário bacana e a gente conseguiu com isso mostrar nosso som para muito mais gente. Já no Cosmicômica, por motivos mil, a gente não conseguiu viabilizar um clipe , a 13 RECS tb não pode produzir e a gente acabou vivendo uma divulgação de disco sem o clipe. Fizemos muita coisa bacana, mas sentimos falta do suporte q um clipe rodando oferece. Agora no nosso novo disco, a gente colocou como condição número 1! Nós colocamos na cabeça que de nada valeria gravar um disco se não tivéssemos as condições ideiais para divulgá-lo. Aos poucos a gente foi montando peças de um quebra cabeça que hoje mostra um disco gravado na Toca do bandido, uma produção muito bacana, num nível que jamais tivemos oportunidade de trabalhar, temos uma distribuição bacana onde o cd ainda vem junto com uma revista de primeira linha com corpo editorial fodasso, além da assessoria de imprensa que nos ajuda muito no diálogo com veículos. Ontem ficou acertado a música e já idéias inicias que darão origem ao roteiro. O nosso grande desafio é conseguir filmar , editar e finalizar até o dia do lançamento do disco e conseguir o ideal dos mundos que é ter tudo alinhado para o lançamento. Sai de lá satisfeito pois agora estamos certos de que teremos o clipe! Fiquem ligados, amanhã tem mais! Paz e Rock! Fotos do Making of de Fliperama!

20.9.06

Olá!

Sem som! Semana corrida, estamos há um mês do lançamento do novo disco, terminadas as gravações estamos mergulhados num mar de burocracias. Os compromissos aumentam e como ainda estamos operando da mesma forma que operamos nos últimos dez anos, isto é sem produtor e empresário, temos que nos dedicar ao máximo pras coisas andarem. Não gostamos de levantar essa bandeira até por que acreditamos que o lugar de músico é no estúdio e no palco, ensaiando, tocando, criando. Mas a realidade atual da gestão de carreira independente não é um mar de rosas e aprendemos também que as coisas não caem do céu. Portanto a gente segue firme no "corre", contando com apoio de colaboradores, amigos, fazendo a coisa andar e acontecer. Acho que as coisas aos poucos vão se acertando. Hoje teremos reunião pra falar sobre o vídeo clipe que se Deus quiser e a gente se empenhar pra fazer acontecer (risos) , fica pronto pra época do lançamento do disco. Neste fim de semana começaremos os esforços de divulgação do lançamento do novo disco. Apresentaremos nome, capa do novo disco, iniciaremos a contagem regressiva. No fim de semana a gente começa a ensaiar pro show de lançamento do disco que acontece em festa oficial da Revista Outra Coisa no Teatro Odisséia no dia 24 de outubro. Antes mesmo disse a gente já deve cair na estrada e fazer uma série de shows de divulgação do disco. Fiquem ligados. As novidades daqui pra frente serão muitas! Paz e Rock! Frenééético!

17.9.06

Passando a régua! Fim das gravações

Ao som das Pipettes! Uh hu! Nos últimos dias de gravação, o Léo que estava finalizando as vozes do disco virou e disse : Vc curte essa onda de backings ano 60 e etc? Vou trazer pra você o disco das Pipettes - um trio vocal inglês que tem uma banda de rock alternativo como banda de apoio e tocam de vestido de bolinhas e no visoo! Achei aquilo interessante, e cá estou eu mergulhando pela quinta vez consecutiva no disco das meninas. Quem se interessar: www.thepipettes.co.uk Tá bom, que você pode me dizer que parecem as novas Spice Girls. Mas são spice girls com visoo anos 60 e com melodias muito boas! Eu recomeeeendo! Deixemos as pipettes de lado e vamos ao que interessa. Ontem feixei a conta das gravações do disco! Acabou! Tive lá regravando duas vozes , fiz uns 15 takes de duas músicas e ainda trabalhei uns backings. Hoje acordei aliviado, em estado de graça. Ontem ouvi quase todo o disco mixado. Quando sai de lá já tinham 8 das 12 prontas. Ouví-las na sequência me deu a nítida sensação de que temos um puuuuuta disco na mão. Sem dúvida foi o mais trabalhoso de todos até aqui. Gravamos num esquema diferente, trabalhamos timbre das guitars em casa música e tivemos atividades intensas de composição com "pause play rec"! Muita coisa foi discutida, composta e gravada dentro do estúdio, sempre discutindo caminhos com Thomas. Estou muito satisfeito, feliz com o resultado. Conseguimos armar um esquema bacana com grandes parceiros e viabilizamos um disco com uma qualidade que nunca tivemos. Acho que encontrei um caminho definitivo nos vocais. No Taito e nos anteriores rasgava muito a voz. No Cosmicômica já comecei a buscar uma forma própria, uma identidade CARBONA nos vocais e agora no novo disco estou certo de que encontrei uma forma bacana! As guitarras ganharam diferents timbres e muito peso. Talvez um dos sons mais pesados que já tiramos em estúdio. O que mais me agradou nesse disco é que cada música foi trabalhada levando em consideração suas características, sem perder uma identidade no TODO. Em "Cara Escroto" a porrada do disco, um som porrada, nas faixas Carbônicas clássicas - backings à la Beach Boys / Queers. "Sessão da Tarde" ficou frenética com um baixão distorcido! Agora amigos é esperar o disco sai (vamos tentar disponibilizar um single virtual) e cair na estrada! O lançamento do disco está marcado para o dia 21 de outubro. Até lá vamos cuidar da produção do vídeo clipe, agendamento de shows e ensaios para a TOUR! Hoje à noite fecharemos o encarte do disco que segue para fábrica ainda essa semana. Paz e Rock!

14.9.06

Backings, Fabrício Rivets e mais uma noite de rock!

Mais um dia na Toca do Bandido. Ontem foi dia de gravar backings. A grande curtição ficou por conta da presença do Fabrício (Rivets e amigos de longas datas). Ele está nos ajudando na parte de arranjo de vozes, principalmente nos Uhs e Ahs à la Beach Boys / Queers que aparecem em duas músicas do disco. Eu e Fabrício tocamos juntos no Barneys de 93 à 98 e desde lá ele já fez vários projetos bacanas. O Rivets , o Versus além de gravações acústicas numa onda meio Folk. A participação do cara no disco está sendo fundamental por que dá ao vocal o mesmo tratamento que foi dado a cada etapa da gravação. Bateria, baixo, guitarra tudo com um som incrível e achamos que seria importante ter alguém dando um suporte especial nas vozes. Levando em consideração que as sessões acabam altas horas da madrugada e ele em cima da hora aceitou o convite e se dispôs a ir lá não só apenas um dia como previsto mas 3! PQP! Muito bacana isso! (Fica aqui um agradecimento especial!) Aliás ontem foi um dia muito especial: ouvi 3 músicas já mixadas e fiquei muito feliz com o resultado. O disco começa a se concretizar e nessa hora passa muita coisa pela cabeça. A principal delas é a gratidão à própria banda de estar completando 10 anos de rock com 8 discos lançados, sendo este último com um gosto especial por que reúne muita gente boa (profissionalmente e bacana) que vem ajudando a construir um momento bacana pra banda. Marcos Bragato que nos acompanha há anos e hoje está na Revista Outra Coisa, Victor Lima e Brenda dando gás na arte da capa, Marcos Hermes que nos fotografou, Constança e Thomas da Toca, Fabrício, Fabiano e Samir que se avaliam a possibilidade de repetir a dose de Fliperama e fazer um novo clipe, mais uma porrada de gente. Reunir tanta energia dá um gosto especial. Hoje à noite volto lá para fazer umas últimas vozes e vou ter q refazer a guitarra de uma música. Nas fotos a gravação de backings com fonte de inspiração, FAbrício e por último Lola - a incrível Cadela que sorri! Paz e Rock!

12.9.06

Segunda de muitas guitarras!

Ontem foi dia de gravar guitarras e mais guitarras! Fui com o Melvin pro estúdio à noite e lá fiquei até 4 horas da manhã. Agora estamos muito perto da reta final! Ajustes, mixagens e na semana que vem já temos a master do disco novo. Já na semana que vem, com nome e capa pronta a gente começa a fazer os primeiros posts e comunicados sobre o disco. Em algum momento antes da data de lançamento vamos liberar um single virtual. A gente achou que assim a coisa funcionaria melhor pois todo mundo já ouve como a coisa vai realmente ficar. E acho que o disco será uma grande curtição! Estou aproveitando o post pra ver se consigo colocar as fotos q não foram postadas ontem. Vamos ver se o BLOG ajuda. Paz e Rock! Ai estão: Gravando vocais, longas conversas sobre arranjos com Thomas, Gravando com uma Gibson Bird, gravação de guitarras : eu disse q estava pesado! hehehe e finalmente, levando som numa MUSTANG!

11.9.06

"Perdi as contas" dia de gravação + Sessão de fotos

Já nem sei ao certo quantos dias fui para a Toca do Bandido nestas últimas semanas. Esse "feriado" foi dos mais frenéticos do ano. A Boa nova é que o disco chega ao fim essa semana. Já temos gravado batera, guitarras bases e outras guitarras e vocais. Faltam apenas backings e alguns pequenos trabalhos de guitarra. Fizemos um show em Vitória na quinta-feira , já incluindo algumas músicas do disco novo já citadas aqui anteriormente: abrimos o show com VIDE BULA (muito legal ver a reação da galera com a música mesmo sem conhcê-la) e depois tocamos SESSÃO DA TARDE que já é conhecida da galera ligada nos arquivos web e etc. Obviamente a versão do disco é Ultra Turbinada pela sonzera de guitarra e toda a produça que envolve o disco novo. No sábado, fizemos uma entrevista de duas horas e meia com a galera da Revista Outra Coisa. Um bate papo sobre os quase dez anos de banda passando por vários assuntos de interesse comum a galera que acompanha nosso trabalho: a história, os projetos, shows, tours, inglês X português, a correria independente, o novo disco, influências, tudo isso recheando de 8 a 10 paginas de revista sobre o BONA. Para complementar, no domingo fizemos uma Sessão de fotos bacana, com o Marcos Hermes ( OBRIGADO PELA GRANDE AJUDA, ATENÇÃO E DEDICAÇÃO NO TRABALHO) que havia vindo ao Rio fotografar o Slayer e topou esticar a estadia para fazer uma sessão de fotos nossa. O resultado ficou sensacional. As fotos serão publiucadas ao longo do projeto CARBONA OUTRA COISA. Faremos da Sessão a capa da revista, as fotos do cd, as fotos do site, tudo com uma cara mais atualizada. Hoje a correria segue. Vou à noite pra Toca gravar backings e ultimos ajustes no disco. Quase nao tenho parado em casa e as fotos da gravação se acumulam na minha camera digital. Assim que tiver um segundo de descanso eu coloco pra vcs aqui. A vida nunca parece ter ficado tão corrida mas fico feliz de ter acabado mais um disco, satisfeito pra caramba e saber que 2007 esta garantido com muito trabalho. Estamos animados e orgulhosos de ter conseguido reunir tanta gente bacana trabahando com a gente nesse projeto do novo disco mesmo sendo uma banda independente. É confortante a idéia de coinseguir ter ânimo pra trabalhar , pra correr atrás e fazer as coisas acontecerem mesmo dentro da dura realidade indie. Curti muito as canções que escrevemos e que gravamos no disco. Ali temos um pouco de cada coisa que já fizemos e algumas novidades. Temos algumas músicas que me lembram muito os primeiros discos do BONA, com solos rock n´roll e numa velocidade mais "ramones" primeiros dias, temos algumas canções mais velozes como 1001 doses, a boa e velha balada sagrada de cada disco está lá também. Uma coisa bacana nesse disco é que pela primeira vez gravamos músicas com timbres diferentes. Nos nossos trabalhos até aqui reproduzíamos a mesma regulagem de guitar para todas as músicas. Nesse novo disco, procuramos sons diferentes de guitars e etc. Acho que o ponto alto disso tudo é que os sons ficaram beeeeeeeeeem pesados. Ao vivo sempre toco com regulagens bem HEAVY e o Thomas que produziu o disco, conseguiu reproduzir isso no disco. Bem amigos, acho muito chato ficar descrevendo músicas. Música é algo que você ouve e curte, ouve e se emociona ou não. portanto que venha o álbum e que possamos curtir juntos mais um ano de trabalho do BONA. Paz e Rock! A gente segue!
BLOG NÃ ESTÁ CARREGANDO AS FOTOS. Tentarei mais tarde!

9.9.06

Oitavo dia de gravação + ES !

Alo amigos! De quarta pra cá não parei um segundo sequer. Gravei na quarta até as 5 da manhã, acordei peguei Vôo pra Vitória, tocamos em Vila Velha num show muito bom, cheio de bandas legais, voltei pro Rio ontem fui gravar de novo até de madrugada, acordei agora cedo pra fazer sessão de fotos, foi cancelada, aproveitamos o horário pra fazer a entrevista pra Revista Outra Coisa, de lá vou direto pro estúdio gravar vocais. De novo até a madruga. Paz e Rock! Passo aqui com mais calma, acredito eu na segunda-feira.

6.9.06

Quinto dia de gravação - Trafegando na pista da esquerda

Bom dia Jovens! Acordei para mais um longo dia, o de hoje chegará perto das 24 hs! Tem sido assim. Tem restado dialogar muito comigo mesmo , corpo e mente para que um consiga entender o outro e não entrem em conflito (risos). Ontem fui no estúdio à noite acompanhar meu amigo Melvin gravar. Fiquei emocionado pois ontem me deparei com um baixo Gibson igual ao do Nikk Sixx do Motleu Crue hehehe se não me engano um Thunderbird Gibson. Roooooooooooock demais aquele instrumento. Meu deus! Saí de lá uma da manhã e faltavam ainda umas 6 músicas. Hoje, além do trabalho, será uma noite e uma madrugada longa uma vez que amanhã é feriado. Começarei a gravar as guitarras do disco hoje. Numa sessão que deve acontecer de 20 as 5 da matina. Amanhã temos show em Vitória (digo Vila Velha), o que me dará poucas horas de sono. Mas assim a banda toca e sempre tocou. Existe fazer e fazer.Ah existe tb reclamar e criticar mas isso nunca fez parte do dicionário CARBONA da língua portuguesa. A gente segue na paz, no espírito esportivo, sabendo que a vida não está fácil e que pra fazer acontecer tem que ir no limite. Esse show em Vitória vai ser fodão por que tocaremos só com bandas bacanas! Ver os Pedrero ao vivo é sempre não só um prazer mas um previlégio! O último show que vi desses caras em BH foi impressionante! To ficando muito feliz com o resultado do disco. Ontem ouvi duas faixas que estão mais adiantadas (ainda com vocal guia e guitar guia) mas já deu pra ter uma bela idéia do que teremos. Ainda restam alguns últimos toques de composição e de ajustes de letras que serão feitos em algum espaço entre hoje e sábado. Ontem a madrugada no Rio foi fria pra caralho. A "Toca do Bandido", estudio aonde estamos gravando, é longe da minha casa. Além de longe pega-se um caminho deserto. Deserto mas não perigoso. Já fiz esse trajeto durante dois anos quando trabalhei ha 8 anos atrás numa fábrica da Cerveja Antarctica. Ele à noite assusta, mas não é mais perigoso do que qualquer esquina do planeta terra onde habitam seres humanos. Sai de lá na madruga, com 15 graus ou menos, dirigindo por uma estrada vazia, molhada por uma leve garoa, devagar, pensando na vida e nos perigos de cruzar com um blitz aquela hora. O mais engraçado é que rolou a blitz mas não me pararam (risos). Passada a Blitz continuei pensando na vida que anda corrida. Corrida demais. Trafego pela pista da esquerda, na velocidade, mas sempre batendo bola com a prudência. A entrega do Master do disco está próximo. Quando apertarmos o STOP. A gente dá uma encostada e faz o pit stop. Por alguns minutos é claro. Por que falta o clipe, as fotos, o web site, o merchandising, e a tour que já tem várias datas mas que vira um exercício interminável de contatos. Fiquem em paz amigos! Fiquem com a paz e com o rock! Tenham um bom dia e fiquem ligados!

3.9.06

Quarto dia de gravação + Alegrias do futebol

Ao som dos Ramones! Ontem enfrentamos mais um dia na maratona de gravação do novo disco. Ficamos de 14 as 23 horas no estúdio trabalhando na gravação da última bateria (fechamos as 13 músicas) e no arranjo/composição/gravação de uma balada do disco que está sendo trabalhada com uma sonoridade um pouco diferente. Trata-se da faixa "Se você fosse um Robô". Essa música não estava programada pra entrar no disco mas quando tocamos ela nos últimos ensaios antes de gravar todo mundo se animou pra gravar e ela acabou ficando. Ela nos rendeu uma tarde bem divertida pensando nos arranjos de batera e em algumas idéias que irão compor a música junto com Guitar e baixo. O Melvin quebrou a cabeça e gravou com um "biba" para esta faixa. Ohhhhhhh lhoco!!! Que nome é esse? Um fabricante indiano de instrumentos. É uma espécie de teclado com uma "sanfona" acoplada que junto com um delay "insano" nos deu um som "espacial", "viajante" que vai dar um climão nessa balada. (Foto abaixo do Melvin pilotando esse instrumento de marca esquisita chamada BIBA! Pedrão gravando bateras e trocando ideia com o Thomas sobre arranjos e etc... Hoje, domingão, Thomas faz correrias sozinho no estúdio editando e finalizando bateras. Amanhã a gente segue com gravação de baixo.

Hoje foi um dia de grandes alegrias no futebol. A seleção brasileira jogou o futebol que sabe e ganhou da Argentina de 3 X 0. Ganhar da Argentina é sempre muito bom. Melhor ainda é ganhar jogando bola e mostrando disposição. Mostrando a disposição que faltou na copa do mundo, manchando o brilho da "amarelinha". Fiquei com uma sensação de alívio com esse jogo de hoje. Roberto Carlos, Cafú, Ronaldo, Adriano e Parreira fora da seleção, anúncia o início de uma nova era. Não me importa se é era Dunga ou de outro técnico, mas uma nova era de gente que parece querer jogar futebol. Sensacional as jogadas de Robinho (meu jogador predileto em atuação) , a arrancada fenomenal de Kaka, Os gols de Elano, a seriedade de Juan, sensacional. Isso sem falar na quarta vitória consecutiva do Botafogo em plena Arena da Baixada contra o Atlético Paranaense. Ver o time fazer quatro gols é muito bom. Ver o time jogar bem pra caralho é muito melhor. 12 pontos, escaladas na tabela, hoje foi um dia de alegrias no futebol! Paz e Rock!

2.9.06

Gravação DIA 3!

Ao som de Matisyahu! Ontem passei mais uma noite na "Toca do Bandido", nome do estúdio aonde estamos gravando o disco. O Pedrão começou o dia mais cedo gravando bateras e quando cheguei faltavam apenas duas das programadas para a noite. Num intervalo rápido, o Thomas me mostrou como estava ficando "UM CARA ESCROTO", sensacional! Fiquei felizão! P-O-R-R-A-D-A! No final da noite, ficamos buscando arranjos para uma das duas baladas do disco que será gravada por último. Testamos alguns sons diferentes de guitarras e violões, algumas levadas de bateria. Hoje a gente fecha a conta por que hoje é o dia final de bateria! Ontem aproveitei pra tirar umas fotinhos da "brincadeira" (abaixo) . Hoje às 14:00 a gente retoma a gravação. Tenho algumas horas até lá que serão aplicadas na revisão de letras e em alguns "dever de casa" de composição. Pequenos ajustes. Vou ficando por aqui! Mais tarde tem mais novidades! Feito? Paz e Rock!

1.9.06

DIA 2!

Ao som de Tim Maia - RACIONAL! Ontem tirei um dia de sono. Já falei com Pedrão que foi ao estúdio gravar bateria, correu tudo na paz e já temos 5 bateras gravadas. Hoje teremos mais uma sessão que completará as bateras do disco. Minha última ida ao estúdio foi na noite de quarta-feira. Estive lá com Melvin gravando todas as guias. Até aqui enfrentamos dias e dias de negociações pois além de assinar com a Revista nós fechamos um acordo que nos garantiu a gravação num estúdio muito bacana, com a participação de um produtor bacana, e somente agora que estamos podendo nos concetrar nas gravações de corpo e alma. A gravação de guia já foi um processo diferente do que costumamos fazer. O Pedro geralmente gravava bateria tocando sozinho , ou entao em algumas músicas com execuções da banda inteira ao vivo. O interessante é que a gravação de guia serviu também como uma fase final de ajustes de arranjos e até mesmo de composições. Antes de gravar a guia de cada música, a gente sentava conversava e revisava as coisas que já estavam prontas. Muito bacana! Com as guias prontas ( baixo , voz e guitar no click) , Pedrão entrou em ação para gravar bateras. Na terça feira , a gente chegou a fazer um "esquenta" no estúdio gravando uma das faixas do disco. Fiquei muito satisfeito com a sonzera de guitar. Gravei com um JCM 900 + Mesa Boogie e usei uma ds guitarras que tem no estudio: Uma Gibson Les Paul e uma Explorer Gibson ( que nunca tinha usado e achei o som muito foda!). Rockera porrada! Esse fim de semana será um fim de semana intenso nas gravações. Teremos mais tempo, portanto vou poder tirar umas fotos pra "abrir" as portas do estúdio pra vocês! Hoje a noite vou chegar no estudio e talvez varar a madrugada vendo a gravação de batera e possivelmente de baixo tb. Obrigado pelo suporte de vcs! Paz e Rock!