26.9.10

Carbona e Badke

Ola!

Hoje rolou o último ensaio antes do show do Hangar110 em São Paulo no dia 2 e em São José dos Campos dias 3 de outubro. Fizemos um set de 22 músicas. Com músicas dos últimos 4 discos. Vamos trazer algumas antigas que estavam fora do show há um bom tempo como “Mundo sem Joey”. A base do show será a mesma da Rock n´ Drinks no Rio. A tradição das emendas estão mantidas. Iniciamos o show com dois blocos de 7 músicas emendadas. Portanto mais uma vez optaremos por falar pouco e tocar bastante! Quem puder aparece! Quem puder dá uma força divulga!

Nesta semana avancei bastante nos ensaios e composições novas. Estou trabalhando na gravação de algo próximo de um disco (não sei ainda o formato de lançamento) de um disco de composições próprias, com violão + voz + muitíssima pouca coisa. A idéia surgiu ainda na época do “Apuros” traduzida na música “Se você fosse um Robot” mas acabei não conseguindo colocar em prática. Passam-se os anos, a vontade de compor e gravar continua” e me sinto animado o suficiente pra avançar neste projeto. Minha expectativa é que seja um disco de poucos acordes num formato violão e voz , nada muito diferente do que venho fazendo até aqui.

O álbum Dr. Fujita foi todo composto no violão. Tenho todas as músicas em vídeo e a idéia é resgatar um pouco do espírito das composições só que sem adicionar as guitarras pesadas e todo o resto.

A vontade de fazer este projeto já existe há muito tempo. Algumas músicas e compositores favoritos vem contribuindo muito pra isso. Tenho ouvido loucamente música com foco na canção. Violão de voz de gente como Kepi Ghoulie, Dr. Frank do MRTX e pra citar pessoas brasileiras Kaly, que compôs músicas pro CARBONA, e André do Zumbis do Espaço.

Sentar e fazer um disco assim me parece algo muito próximo do que consigo fazer com a fotografia. É o fazer pelo prazer de fazer. É colocar em prática a vontade de fazer algo e ficar amarradão de ver fazer.

Contarei neste processo com a ajuda de algumas pessoas que já se animaram em “fazer” a parada. São eles: Melvin que deve tocar teclados e me ajudar nos arranjos. Matos , o Dr. Fujita da capa que vai ajudar com barulhos percursivos, pandeirolas e o pouco mais que existir.

A onda é essa...

Kepi Ghoulie fazendo seu violão e voz no banheiro

Dr Frank , ex vocal do MRTX, tocando na leitura de um dos seus livros.

Pra quem é chegado em MRTX, vai a dica. Visite o site de livros de Frank Portman e baixe varias musicas novas acústicas. Pra matar a saudade de MRTX.

Paz e Rock!

20.9.10

O Lançamento e o lançamento de Dr. Fujita!

Ola! Eu disse, olá! Enfim fizemos nosso primeiro show oficial de lançamento do novo disco. Estivemos na Rock n` Drinks, em Copacabana, Rio de Janeiro, apresentando músicas (muitas músicas) do nosso novo disco Dr. Fujita contra a Abominável Mulher Tornado. O show por lá começa cedo e a programação da casa é sempre de apenas uma banda por noite. Fiquei muito feliz com o show que fizemos. Acredito que tenha sido uma das nossas melhores apresentações até aqui. Tocamos ao todo 24 músicas. Quase tudo do novo disco, músicas do Taito, Cosmicômica e outros pedidos da galera que apareceu por lá. O set list, se eu conseguir me lembrar de tudo foi quase isso:

Sopa de água-viva viva, Sempre que eu fico feliz eu bebo, Valentina, Semivivo, Esqueletos em todo lugar, Eu quero ir com você pra lua, 43, Felicidade incondicional, Tornado (acabei de me dar conta que não me lembro do ser portanto vou escrevendo o que me lembro mesmo que fora de ordem) Esse danado desse traste de amor, Máquina do tempo, Eu quero ir pro Japão, 3:53, Vertiplano, A alegria está de volta, Cosmicomica, Lunatico, Eu sou doente, Meu Primeiro all-star, Um cara escroto, Macarroni Girl, Rockaway beach e algo mais q eu não me lembro.

Recebemos no dia do show um back drop ou pano de fundo pro palco da turnê do novo disco. Um oferecimento do Sr. Julio Pires & Andre Olive que fizeram essa "surpresa" pra gente. Dá sempreuma vida no palco e uma vida ao disco tb que se faz presente.
Fiquei bem animado para os próximos shows que acontecem em São Paulo e São José dos Campos nos dias 2 e 3 de outubro.

Recebi uma resenha divertidíssima sobre o disco. Quem quiser dar um confere : http://underock.com/resenhas_r_04.htm

Mais fotos do show dos irmãos Hovland


Para fechar o post de hoje, saiu uma nota no Glogo, caderno digital, falando do lançamento do novo disco, dividindo o link para download. Confere ai abaixo:
Fiquem na paz! Fiquem no Rock!

12.9.10

Ensaios do fim de semana!

Neste final de semana fizemos 4 horas de ensaios para os próximos compromissos da banda: dia 15 de setembro apresentação ao vivo na web / live streaming! Amanha coloco todas as informações aqui. Depois dia 18 de setembro, próximo sábado, fazemos o show de lançamento do disco aqui no Rio. Na Rock n´Drinks e depois disso a gente toca em São Paulo e São José dos Campos nos dias 2 e 3 e depois volta a tocar em novembro somente.
Estes dois ensaios de ontem e hoje foram incríveis. Decidimos que vamos tocar nestes shows 10 das 11 músicas do novo cd. Isso nunca tinha acontecido até aqui! Mas a gente ficou muito feliz com o novo cd e tocar as músicas tem sido "revigorante" para a banda. Mas pra quem já pensa "pô mas terá pouco tempo pras músicas antigas" não se preocupem :) tanto no Rio quanto em Sampa faremos shows maiores dessa vez, pelo menos nestes primeiros shows de lançamento.
A gente já vinha conversando direto sobre as mudanças que faríamos no set quando saísse o disco, que com o novo disco a gente tocaria não só músicas novas mas também "novas antigas" ou seja, músicas que tocamos ao vivo na época em que os discos tinham sido lançados , ou aquelas que nunca tocamos ao vivo. Com isso, os ensaios acabaram sendo divertidissimos, tocando sons antigos, tentando lembrar algumas coisas e o melhor de tudo redescobrindo músicas antigas que soavam toscas demais e que agora revisitadas nos tiravam sorrisos no ensaio. Nem tudo que ensaiamos tocaremos, mas pra ter uma noção do que tocamos , eis ai a extensa lista do que foi ensaiado ( pelo menos um pedaço heheh ) :
Do taito:
Casaco Azul
Esqueletos em todo lugar
Ela não quis ir comigo pro cinema
O mundo sem joey
Eu quero ir com você pra lua
43
Meu primeiro All Star
Copo Dágua
Do Cosmicômica:
Eu sonhei com Elvis ontem a noite
Felicidade Incondicional
Vertiplano
Nebulosa
Impossível ser tudo para todos
Eu quero ir pro Japão
Cosmicomica
Do Apuros:
Vide Bula
Lunatico
Eu sou doente
Tocamos ainda Antonella que nunca foi gravada mas que pode entrar nos shows uma vez que muita gente lamentou nao ter sido incluida no disco.
Por fim, algumas linhas sobre o disco, completamos uma semana de disco lançado e já são milhares de arquivos espalhados por ai :) O objetivo era justamente fazer o som espalhar, fazer a música chegar a todos os cantos por onde passando. Gostaria de agradecer à todos pela força, pela ajuda na divulgação e pelas linhas de incentivo. Vocês rockam!
Paz ! Rock!
HB!

6.9.10

Dr. Fujita Contra a Abominável Mulher Tornado

Dr. Fujita Contra a Abominável Mulher Tornado!

É com muita alegria que lançamos mais um disco com o CARBONA. “Dr Fujita Contra a Abominável Mulher-Tornado” traz 11 sons inéditos que revisitam nossos primeiros anos de banda. Estórias contadas em poucos acordes e melodias grudentas, com um brilho extra resultante da chegada do Bjorn à banda. Todas as músicas juntas não passam de 25 minutos, fazendo do “Dr Fujita” um disco urgente. Chamo de um disco urgente por que foi assim que ele nasceu. Há 3 anos não gravávamos um disco. No ano passado chegamos a fazer uma demo e no final das contas decidimos abandonar tudo e começar do zero. Ali a coisa ficou esquisita. Até que um dia, conversando com Melvin, e revisitando a obra de artistas que nos influenciaram como Kepi, Muzzarelas de Campinas, Ben Weasel e dos Ramones , resolvi que era hora de pegar o violão e voltar a escrever músicas como aquelas que me emocionaram ao longo dos anos. Vi um vídeo do Kepi Ghoulie tocando violão na Generation Records e pensei é isso! Farei dessa minha devoção pelo “de sempre” desses caras, o meu combustível para reencontrar o prazer de compor. Em 10 dias escrevi quase todas as músicas deste disco. Em 30 dias , nós, os CARBONA estávamos felizes terminando as gravações do disco. Por isso um disco urgente. Que apareceu na hora certa, da forma certa e que nos deixou muito felizes. Ultimamente tenho reencontrado muita gente que reapareceu em função do lançamento do disco, dando força , escrevendo, colaborando. A todas estas pessoas e à todas que ao longo dos anos que foram em nossos shows, vestiram nossas camisetas, ou simplesmente ouviram nossa música e se divertiram com isso, eu deixo aqui mais uma vez um sincero obrigado e os votos de PAZ e ROCK.


Quem quiser dar uma sacada da resenha do disco que saiu na Zona Punk, aqui está o link! http://www.zonapunk.com.br/ver_res_cds.php?id=1754

Via Dutra!

Amanhã é dia de pegar a Dutra mais uma vez. Vamos fazer um “bate-volta” em São Paulo para filmar o vídeo clipe de “Valentina”. Isto significa acordar 4 da manhã , pegar estrada, filmar e pegar a estrada para voltar a tempo de trabalhar. Não temos previsão de quando o clipe vai ficar pronto, mas temos acompanhado o trabalho do João Simi, diretor do vídeo, e está ficando tudo muito bacana! Teremos fotos da viagem e do trabalho por lá, até sexta-feira aqui no BLOG!

Ensaio!
Ontem fizemos nosso primeiro ensaio “completo” para os shows do novo disco. São eles: dia 15 ao vivo na web! Dia 18 no Rio de Janeiro. Dia 2 de outubro em São Paulo e dia 3 de outubro São José dos Campos. Nosso ensaio ontem foi basicamente tocar o disco inteiro. É incrível risos. 22 minutos e pronto! Tocamos todas as músicas ficando de fora apenas “O Último Gol”. Que deve em algum momento ser ensaiada. Das 11 músicas do disco, 10 serão tocadas ao vivo. Complementando o show com músicas do Cosmicômica e Taito. E a idéia é aumentar um pouco o show, uma vez que vínhamos tocando 30 minutos.
Abraço!

1.9.10

Quem é Dr. Fujita? Um track list comentado do novo disco!

Mas afinal de contas quem é Dr. Fujita? Dr. Fujita foi um cientisa pesquisador de tornados. Ele é o criador da escala F, ou escala Fujita, usada na medição de tornados e seu potencial destrutivo. Bem, o potencial destrutivo nos leva a mulher Tornado (risos). Mas quem é a Mulher Tornado? A mulher Tornado anda a solta por ai! São muitos os relatos dos que já sofreram sua fúria! Voa casa, carro, coração desintegra, destruição completa e absoluta. Imaginando este combate do homem que melhor conheceu a fúria dos Tornados contra a Abominável Mulher Tornado, chegamos no novo disco que reúne, como sempre, um apanhado de estórias contadas em menos de 3 minutos e 2 acordes, dando continuidade a nossa "onda" de cantar estórias.

O Fujita original:


O nosso Fujita, na pele do Dr. Mad Mattos, que fez uma incrível participação na capa do disco!
Vamos ao disco:
1- Sopa de água-viva: uma introdução instrumental punk rock! Frenético! Uma cartão de visitas do disco que virou também nossa introdução de shows. Velocidade, riffs de guitarra rock n´roll e solos nervosos marcando a estréia do Bjorn em estúdio com o CARBONA!
2- Tornado (2:00) : Solinhos melódicos na melhor tradição Lookout Records abrem a música. Esta música sofre grande influência das músicas de Rock n´Roll dos anos 50 e das bandas de bubblegum que nos influenciaram. Um passeio divertido pelos acordes Lá Ré Mi . Três diferentes progressões, usando estes mesmos 3 acordes. Um

3- Semivivo (1:39) : Essa foi a primeira música que fiz para este disco. Um disco escrito quase todo em 10 dias. Já figura pra mim entre minhas preferidas da minha caminhada com o CARBONA até aqui. A letra difere um pouco das letras que costumo escrever. Semivivo não conta uma estória. Conta um estado. É recortada mas o recorte é a mensagem. Mais uma vez me remete às Lookout bands que rechearam o cast da gravadora no final dos anos 90. Esta música pode ser ouvida no Player ao lado!

4- Valentina (4:09) : Valentina é pra mim um cartão de visitas do CARBONA. Uma estória da história contada numa canção punk rock. A astronauta russa Valentina foi a primeira mulher a ir ao espaço. A música conta exatamente isso. Bem, nem tão exato. Mas é disso que a música trata. Valentina ganhará um vídeo clipe. Começou a ser filmado ontem. Vi still da filmagem com a nossa "pequena Valentina". Muito bacana! Dia 7 de setembro a gente se enfurna num carro, sai as 5 da manhã, filma e volta, de carro, direto pro trabalho. Faremos registros da estrada!

5- A Alegria está de volta ( 2:25 ): Uma música com influências melódicas californianas. Nasceu como uma música arrastada, um dia o Pedro chegou no ensaio e falou "amigos, esta música tem que ser acelerada. Muito acelerada. Assim fizemos, chamamos Fabrício Faccini, vocal do Rivets que também tocou comigo na banda Barneys e pronto! Tinhamos uma música melódica com Ohs e Ahs , com uma melodia bacana, e sem dúvida, com o melhor de tudo, a volta de Fabrício aos estúdios!

6- 3:53 ( 1:44) : Esta é uma das minhas favoritas do disco. Uma música ramônica, minimalista. Uma música que nasceu de forma verdadeira. 3:53, eu em pé o aeroporto de fortaleza, esperando produção local depois de pegar um vôo para "viabilizar" o show :) A letra diz 3:53 horas da manhã. Eu estou aqui. E sei que existe muita gente por aí. De fato, foi o que me veio à cabeça naquele momento, olhando aquele relógio que inclusive foi fotografado e colocado aqui neste blog alguns meses atrás. O mais engraçado é que poderia ter uma conclusão disso tudo que seria a "sensação de estar muito melhor estar "aqui" do que "por ai". Estar aqui era estar no rock , na estrada, para tocar numa das minhas cidades favoritas, e estar por aí.... bem estar por ai é estar por aí....

7- Esse danado desse traste de amor (1:13) : Essa música começa de um clássico Ramônico chamado "Love Kills" , que diz o "amor mata". A partir daí a gente continua dizendo "o amor mata mas a gente é teimoso e ressuscita" :) Uma música à la Queers, porradinha, solos de guitarra oitavados de Bjorn e em 1 minuto tá resolvido!

8- Massacre da Serra Elétrica ( 2:05 ) : Hardcore. Velocidade. Urgência. Coros à la Gramofocas no Refrão que diz "Querem transformar o mundo no massacre da serra elétrica". Reunião de amigos no estúdio cantando coros, uma noite divertida e memorável! Esta música é uma herdada da última demo que tínhamos gravado e que trouxe vitalidade e diversão ao disco.

9- Máquina do Tempo (1:55) : Essa música poderia ter saído no Mighty Panorama. Um clássico Carbônico. Solinhos melódicos. Refrão pegajoso suportado por um fraseado de guitarra frenético e um backing que eu criei, Fabrício executou e que acabou virando um dos meus momentos favoritos do disco.

10- Sempre que eu fico feliz eu bebo ( 2:04) : Um cover de Gramofocas. Música escrito pelo Paulo Raymundo. Eles são uma das minhas bandas preferidas de rock nacional. Esta música foi a música de abertura dos nossos shows nos últimos dois anos. Esta música continuará sendo a música de abertura dos nossos shows. Rock + Cerveja + Banda da qual somos fãs! Já tocamos com os Gramofocas muitas vezes. (No Hangar dia 2 de outubro tem mais!) Mesmo quando tocamos com eles a música é mantida na abertura de shows. Sempre peço pro Paulo em respeito. Sempre que eu fico feliz eu Bebo! Bebo!

11-O último gol (2:49) : Uma música que fala de futebol Sempre quis fazer músicas sobre futebol e nunca tinha conseguido. Sempre achei que rock e futebol batem um bolão. Mais do que isso , sempre achei que punk rock e futebol combinam. Sempre que vou aos estádios fico imaginando versões de músicas transformadas em canto de torcida. Como nunca vou emplacar um hit na torcida no meu time, pensei em emplacar no disco do CARBONA. Todos na banda vivem o futebol como fãs. Uma música à la Weasel pros que sabem do que eu tô falando, com coros de torcida cantando a emoção do futebol!

No dia 7 de setembro, o disco está no ar e provavelmente isso fará mais sentido! De qualquer forma fica como aperitivo pra galera que entra aqui! No dia 7 ( ou no dia 8 ja que 7 faremos um bate volta de carro pra sampa) eu coloco isso de novo!

É isso meus amigos, fico por aqui! Fiquem em paz, fiquem no Rock!