24.8.15

PLAY REC entre amigos!



Rolou!  Ontem estive no “Escritório” estúdio carioca da gravadora Transfusão Noise Records para gravar quatro músicas inéditas. Fazia dois anos que eu não entrava num estúdio para gravar, desde o Panama, último disco que fizemos com o CARBONA. De lá pra cá, tivemos uma desaceleração nas atividades do CARBONA, Pedro e Bjorn foram morar fora do Brasil, e me vi um pouco distante, não da música por que são 8 horas de audição ininterrupta no trabalho como fã de música, mas como alguém que faz música. Há alguns meses atrás, encontrei o Melvin numa viagem que fiz e curiosamente acabamos jantando e vendo King Tuff, Frank Turner juntos, e conversamos um bocado sobre música. Naquela ocasião falei do quanto sentia falta de escrever, compor e gravar, mais até mesmo do que estar no palco e de como vinha alimentando uma idéia de buscar um formato mais solto, com maior compromisso com essa vontade de sentar no quarto pegar a viola e viajar até o espaço criativo onde nascem as canções do que qualquer outra coisa. Nesta busca de algo mais solto veio a idéia de compor, gravar singles, eps, me juntar com amigos, gravar parcerias, e aproveitar os dias que se apresentam generosamente dia apos dia para viver com eles a música. E neste sentido, a gravação de ontem teve um sentido muito mágico, que foi concretizar uma idéia que aparecia em várias mesas ao lado de dois grandes amigos: Melvin e Cris Cafarelli. Melvin, vocês sabem, baixistasso do CARBONA com quem toco há quase 18 anos e a Cris Cafarelli é amiga de
 looooooongas jornadas, com quem já aprontei um bocado ( a Gávea saberá dizer  ) e com quem muito me orgulho de gravar junto por ser , além de uma musicista de mão cheia talentosíssima, um exemplo de persistência! A Cris faz parte daqueles loucos que falaram quero viver de música, ser musicista, fez facul de música, ralou anos e agora está ai num palco perto de vocês ao lado de uma pá de gente bacana. Bacaníssima eu diria. Assim como o Melvin, a Cris também me pilhou muito em conversas dominicais lá em casa onde ela disse “cara, trago meu ipad, a gente vai fazendo um som e eu te ajudo”. E assim fomos nos encontrando e trabalhando nas músicas. 
 Sem Cris e Melvin estas músicas não teriam 1) a metadade da graça 2) a metade dos instrumentos J Melvin gravou baixo ali na hora, trocando idéia, conhecendo “por música” meu esquema de composição e Cris tocou de tudo um pouco teclado, guitarra onde devia e não devia ( quando comecei a errar o mais simples solo de 5 notas J ), escaleta, glockenspiel e por ai vai. E para completar vem o estúdio. Fiquei muito feliz de gravar com o Lê Almeida. Primeiro por que sou fã do trabalho dele. Se vocês não conhecem, fica aqui o convite para conhecer. https://lealmeida.bandcamp.com/ Neste link você consegue ouvir todos os discos dele. Segundo por que cheguei neste estúdio como uma resposta natural ao que estava buscando.
 
  Quando decidi gravar as músicas no formato violão e voz pensei: quero fazer um a gravação que retratre as músicas como elas nascem, como uma música de quarto mesmo.


Assim foram gravadas "Fotomontagem", ""Bom dia", "O Monstro que você criou" e "Um bom motivo para me orgulhar". Não queria dessa vez entrar num estúdio, pegar microfones multi hiper ultras, afinar vozes, e dar aquele brilho todo. Talvez tenha sido uma vontade de fazer algo diferente, talvez seja mesmo a vontade de fazer a coisa mais crua, talvez tenha sido a audição obsessiva de Guided by Voices, mas o fato é que assim foi e fiquei feliz de ter experimentado a gravação de ontem. Sem clicks, sem afinações de vozes, sem muito brilho, apenas as músicas, ali do jeito que vem, do jeito que gosto, do jeito que estranhamento gosto por que gravar ontem foi como se tivesse fazendo minha primeira demo. E o que eu mais queria eu consegui: sair de la com a certeza de gravarei outras mais. Muitas mais. Amanhã, passo no estúdio na hora do almoço apenas para ouvir a mixagem que será feita hoje e com mais alguns dias eu estuo pronto para lançar. A princípio sem formato físico mais espalhado em toda e qualquer plataforma de música digital. Deixo aqui algumas fotos de ontem! Paz!

19.8.15

Merchan Oficial do CARBONA, CDs e DVD na HBB Store


Acesse o link http://www.hbbstore.com/search.html

Letras & Mapas!

Ao som de Kepi Ghoulie! Fim de semana se aproxima, animadasso com a idéia de gravar novamente. Últimos dias foram repassando arquivos nas idas e vindas pro metrô, criando backings no silêncio do vagão matinal, revendo letras destas músicas  que gravarei e rascunhando já algumas coisas novas que venho trabalhando. Ontem passei uns arquivos de som pro Melvin que vai colocar algumas linhas de baixo, fiz também uns mapas que devem nos ajudar a montar as músicas. Ontem troquei cordas do meu violão que não via um jogo de cordas novo há uma década ( sério isso!)  e agora é só esperar! É isso! Peace!


 
 






5.8.15

De volta ao estúdio! 23 de agosto tem play rec!

Ao som de Screeching Weasel, The Last Janelle! Demorou. Demorou muito mais do que eu queria mas finalmente estou voltando a um estúdio para gravar novas musicas. No dia 23 de agosto, dou uma visitada num estúdio aqui no Rio para gravar 3 sons.  Neste caso, sem o CARBONA, retomando uma iniciativa de quase dois anos atrás quando comecei a gravar algumas músicas num formato de violão e voz. Naquela ocasião, acabei atropelando a gravação com o trabalho para gravar o "Panama" e acabei não concluindo . 2015 até aqui foi um ano de relançamento de Back to Basics em CD e ainda aguardamos o vinil, lançamento do DVD ao vivo com Gramofocas e Magaivers, novas camisetas com artes de Victor Stephan, além de ter sido um ano onde tive intensa atividade de composição. Durante este tempo em que estive fora de ensaios e palco com o CARBONA, dediquei horas e horas às composições. Essa volta ao estúdio é tão somente aquela necessidade de ver algumas dessas composições ganharem vida. Quero tê-las e ouví-las gravadas e vou buscar isso num formato que se aproxime à forma como elas nascem, isto é, tocando violão no meu quarto. Todos os discos que gravei até aqui nasceram desta forma e tenho me interessado por música feita neste formato. Gravarei três músicas "O Monstro que você criou", "Um bom motivo para me orgulhar" e "Fotomontagem". Postei há algumas semanas atrás aqui alguns fragmentos de arquivos de composição e agora estou na reta final pegando cada 10 minutos que tenho para trabalhar em arranjos, fraseados, vou registrando com violao e celular as ideias , ando na rua repassando letra e buscando as frases que faltam o que acabo curtindo posi vou vivendo aos pouquinhos a gravação e as musicas. Estarei acompanhado por dois amigos, a Cris Cafarelli que vai me ajudar com coisas que eu nao toco como teclado, escaleta e até mesmo com coisas que toco, vai colocar uns violões e etc. E ainda, contarei com a participação do Melvin que vai colocar baixo em alguns trechos. 

Ontem tava lendo uma notícia falando sobre um Robô viajante que tinha rodado varios países e ao entrar nos EUA tinha sido decapitado e abandonado na beira de uma estrada sem chance de reparos. Pensei obrigatoriamente em "O Monstro que você criou". Não bastasse decapitações recentes de humanos em espetáculos de barbárie, de um leão caçado em área de preservação, chegamos ao cúmulo como espécie de decapitar um robot? Se alguem quiser ler sobre a fatídica estória ai vai http://www.iflscience.com/technology/hitchhiking-robot-manages-two-weeks-us-being-destroyed .


E sobre a letra de "O Monstro que você criou" , até agora ela está assim:

"O Monstro que você criou"

Fantasmas não assombram mais o mundo
A vaca foi pro brejo em um segundo
Robotos enferrujam a céu aberto pro futuro e dão...
Planetas descobertos não recebem nomes
Letras frias números de telefone
Vampiros decadentes perambulam a luz do sol e dão...
A pista que você perdeu, o ponto em que você parou
E descobriu que não vai bem o Monstro que você criou
Fantasmas não assombram mais o mundo
No fundo do poço tem um fundo
Heróis falidos negociam seus super poderes e dão...
Zumbis difamados em horário nobre
Relíquia de ouro transformada em cobre
Malditos humanóides se despedem do futuro e dão...
A pista que você perdeu, o ponto em que você parou
E descobriu que não vai bem o Monstro que você criou

Arquivo de composição:



É isso! Fiquem na paz! Fiquem no rock!