15.3.11

O Lutador, Novo do Screeching Weasel

Ao som do novo disco do Screeching Weasel, “First World Manifesto”. Ouvir algo de alguém que está há tanto tempo “nessa”, 10 anos depois, cheio de vitalidade é antes de mais nada inspirador. O ato é inspirador. A música é inspiradora. Já falei algumas vezes e falo novamente. O Screeching Weasel é a minha maior influência depois dos Ramones. Na ativa, figuram entre as minhas preferidas. Screeching Weasel joga no time da simplicidade. Menos é mais. E se existe um único senão neste disco, eu diria que é a simplicidade dos arranjos de guitarra de Jughead que fizeram falta. Mas isso é apenas um comentário de pouca importância. Gosto das composições do Bem Weasel. Seja solo, seja Riverdales, seja com o SW o fato é que ouvir as músicas me faz feliz. Quem ainda não ouviu, o nome é “First World Manifesto” e està disponível a venda nos 4 cantos do planeta na grande rede!

Sobre meu EP. Não consegui começar a gravar no carnaval. Estava na expectativa de passar meus dias enfurnado no estúdio, no ar condicionado, longe da discussão que figurou entre a ode e o ódio ao carnaval de rua carioca deste ano, mas o fato é que não foi possível. O estúdio não abriu as portas e continuo aguardando data pra gravar. Hoje já orcei um novo estúdio e muito em breve começarei.

Mas não estou parado. Estou gravando este EP por que depois da gravação do “Dr Fujita”, último disco do CARBONA, eu me reconectei novamente de forma sincera com o prazer de compor novamente. Estávamos há 3 anos sem gravar nada. Durante este período eu pensei em 1000 motivos para largar a música, nenhum deles me convenceu. Alguns até ganharam forte apelo perante a razão mas não forte o suficiente pra me fazer largar a viola na “manhã” seguinte e escrever minhas músicas. Tenho tocado. Todo dia. Todo dia.

Estou gravando por que gosto. Por que preciso. Do jeito que é.

Hoje acordei as 5 da manhã para acompanhar minha mulher que estava se preparando para trabalhar. Depois que ela saiu, me vi deitado , no escuro, tocando violão, dedicando duas horinhas que tinha antes de sair pra trabalhar para terminar “O Lutador”. O dia foi longo cheguei em casa agora às 20 horas. Peguei o violão, de novo, e avancei. Estou pronto pra gravar.

“O Lutador” (Badke)

O incansável Lutador não mais questiona,

Se me sobra disposição então só me resta lutar

Se o melhor que eu faço só me traz a quinta parte

Eu to inteiro vivo, respirando, então pro ringue eu vou voltar

Por que a luta é lei da vida e por essa vida eu vou lutar

Quando eu abro uma ferida é lá que a alegria está.

O Lutador é muito para poucos

O lutador não sabe o que é parar

O lutador é muito para poucos

Se fosse tudo para todos nem teria por que lutar

Uma canção inspirada em "O Lutador" dedicada a todos os lutadores que fazem do passar do tempo seu grande aliado.

Paz e Rock!

4 comentários:

Pedro disse...

simplicidade, seus versos me ensinaram bastante isso.
e dr fujita a caminho de casa já

Ygor Himself disse...

Genial, Badke. Espero mais shows no RJ.

PS.: Quanto está o Fujita? O amigo aqui de cima parece ter comprado.

Abraço!

Pedro disse...

ygor, pela balboa discos
contato: balboadiscos@gmail.com
dentro de algum tempo vai também estar disponivel pela ideal shop

Henrique disse...

Valeu Pedro, Valeu Ygor. Quem lançou foi o Shamil da balboa discos ou da loja @_doombox

Agradeço as linhas e a força, espero muito em breve estar publicando novas músicas por aqui.

Tenho trabalhado no EP e a "parada" vai sair!

Abraço