1.3.10

O pulso ainda pulsa

Acabo de decidir escrever por aqui. Tive que mexer no nome do blog que estava versão 09 ( 2009) e não 010 ( 2010 ) tive que mexer na minha idade também que já não é mais 33 e sim 34. Se você chegou até aqui é por que muito provavelmente está atrás de notícias do CARBONA. O último post falava sobre gravação de um novo disco da banda. De fato chegamos no ano passado a escrever , ensaiar um novo disco, mas por 1001 motivos reunindo os 4 Carbona, o disco acabou não saindo do papel ( ou dos ensaios ), o tempo passou e num processo meio paranóico acabei propondo à banda que deixássemos tudo de lado e começássemos um novo disco do zero. Quer dizer, do zero não por que "Valentina" e "Massacre da Serra Elétrica" seriam incluidas no disco. As demais músicas seriam deixadas todas de lado.

Hoje troquei algumas linhas com Pedro pela manhã acerca da banda, e o mesmo aconteceu por acaso com o Melvin. A gente segue ensaiando, quase toda semana, desde 1997, gravou 8 discos nos primeiros 10 anos, fez 550 shows aproximadamente e num dado momento , por algum motivo, as coisas se enrolaram e a força que fez a gente colocar o bloco na rua até aqui , não foi suficiente pra botar o novo disco na rua.

E sobre isso que a gente anda conversando. Renovar os votos de que a gente vai se agilizar e se empenhar pra gravar o novo disco na rua e além disso alinha algumas expectativas.

O que a gente tem em comum e parece funamental para o processo do disco é a vontade de que ele exista. Todo mundo quer fazer o disco, ensaiar, gravar e colocar a coisa na rua. Quanto à cair na estrada, algumas discussões aparecem, mas isso parece não me incomodar. Primeiro as coisas que vem primeiro. Fazer o disco pra depois cair na estrada e tocar. Hoje de fato, o que eu quero e reencontrar a curtição de compor ir pro estúdio e fazer um novo album sem pensar em mais nada.

Na semana passada andei ouvindo uns discos do Goulies, que me levou até os discos dolos do Kepi, que me levou ate uns videos no youtube dos caras tocaram na Generation Records. Aquilo meio que me inspirou. Sempre achei foda a hiperatividade dos caras, o Ghoulies acabou junto com casamento do Kepi com a Roach e la estava o cara, tocando com violaozinho em frente as araras de camisa da Generation Records, e pasmem os srs, com Kevin Seconds tocando baquetas em cima do case pra " marcar" a música. Aquilo me incentivou.

Hoje não penso em nada que não seja pegar o violão, escrever canções de 3 acordes, contar as estorias e em seguida conseguir força pra reunir a banda e transformar isso num disco. Não quero saber de muita coisa... nao quero me preocupar com shows, com sites com isso com aquilo. Quero transformar a vontade de ouvir Muzzarellas, Ben weasel e Ramones em música. A partir dai com as músicas escritas e o disco gravado a gente vê o que faz.

O e-mail é o de sempre: henrique@carbona.com.br

Os votos, os de sempre : Paz e Rock

Abraços
H!