25.3.10

Meu Primeiro Disco Digital :)

Do fanzine de Xerox, à revista eletrônica, do K7 ao cd , do cd ao mp3, dos flyers em carta à comunidades e mídias sociais. É esta a trajetória do CARBONA de 1997 até aqui. O lançamento do disco “Dr. Fujita contra a abominável Mulher Tornado” e sua estratégia digital é um marco na “correria militante” da banda no independente.

A Internet não é novidade para a banda. Nossa história se confunde com a da web no país. Começamos a banda ao mesmo tempo em que conhecemos e-mail. Desta descoberta originou-se uma turnê norte-americana em 1998, toda agendada pela web e vivida insanamente em vida real.

De lá pra cá conhecemos flog, blog, ogs , Orkut, isso, aquilo e assim fomos acumulando experiência intensa musical viabilizando 550 shows, 4 turnês e 8 discos.

Nesta caminhada contamos sempre com o apoio do André Tauil e sua 13 Records que sempre apostou , apoiou e investiu na banda lançando nossos discos. No Apuros em Cingapura, tivemos o convite da Revista Outra Coisa para lançar o disco, conversamos com o André e ele entendeu que a experiência de distribuição em banca seria saudável pela banda e mais uma vez, contando com suporte da Toca do Bandido lançamos mais um disco.

Nos últimos 3 anos o cd físico enfrentava tempestades de desinteresse pelo público cada vez mais forte frente ao FREE mp3, e um a um , foram caindo os selos independentes. Passados 13 anos, arregaçamos as mangas e nos preparamos para lançar nosso primeiro disco digital.

O Meu primeiro disco digital não significa, ignorar o bom e velho cd, mas significa que ele é pensado originalmente como um disco digital, toda sua estratégia de divulgação é voltada para o digital e o físico vira apenas uma opção de consumo de música tradicional para quem curte o “disquinho” assim como eu. Ou seja, faremos cd físico também.

O lançamento digital de “Dr Fujita” encampa um esforço muito maior, o de trazer a banda de forma definitiva para o digital. Enquanto trabalho no novo disco, trabalho incansavelmente para licenciar todos os discos do CARBONA e disponibilizá-los para todos nos mais diversos canais de distribuição. Lojas web de mp3 com pagamento em cartão de crédito, venda através de celulares e obviamente o bom e velho CD.

Esse projeto me obriga a mergulhar em uma enorme burocracia de licenciamentos, contratos, com 13 records, toca discos e outros agentes que estiveram envolvidos no nosso trabalho ao longo dos 13 anos. Mas o resultado pra mim será gratificante e revitalizante.

Hoje estamos pagando pelo disco e mantendo todos os direitos na nossa mão , hoje estamos assumindo controle de 100% das atividades da banda e isso é um grande desafio pra gente. Bem verdade que que sempre tivemos grande parte do processo nas nossas mãos, mas agora é diferente. É uma volta. Um recomeço. Uma reestruturação. A adaptação a uma nova era.

O trabalho todo é feito com muito pouco ou quase nada de recurso. Mas o planejamento e a parceria com pessoas que apóiam o trabalho vão dando “empurrão” no projeto.
Eu vou contando um pouco disso tudo por aqui.

Ontem fiquei por conta da arte dos CDs. Conversando com ilustradores, passando referências, e mais um processo em andamento. As referências todas passam por cartazes de filme dos anos 40 e assim devemos dar vida ao “Dr Fujita contra a Abominável mulher Tornado”.

Hoje à noite tem gravação. Amanhã tem fotos, estórias e mais registro.

Fiquem na paz, fiquem no rock
Abraço