21.3.10

Gravação Dia 1 - Um dia feliz

Mais de 3 anos sem gravar, depois de nos últimos 12 anos ter gravado quase um disco por ano. 3 anos sem saber se iria rolar de novo. Por alguns dias cheguei até a jurar que não. Barreiras impostas, barreiras quebradas lá estávamos nós, os CARBONA, desta vez reunidos com Bjorn Hovland, o novo quarto elemento para gravar nosso novo disco. Foi um dia feliz pra caralho. É muito bom poder dizer isso. Mundo vai , mundo vem, dúvida aqui, dúvida ali, incompreensão , correria, insegurança, preocupação. A coisa anda esquisita. Mas hoje, ali naquele estúdio chamado curiosamente de "Melhor do Mundo Estúdio" a gente se divertiu demais gravando as baterias das 11 músicas que comporão o novo disco.


Além da bateria gravamos também baixo e guitarra base. Bateras e baixos valendo. Guitarras base do Bjorn eventualmente alguma coisa. Ele votará nesta semana para trabalhar nas guitarras. Montagem da bateria começou as 10 horas, pasagem de som, acertos e timbres e o Play Rec começou por volta das 12:00 eu acho. Pedrão gravando bateria embaixo, e na técnica eu, Bjorn e Melvin tocando e comandando a diversão ao lado dos convidados que apareceram por lá pra tornar o dia ainda mais agradável.


Confere rápido nos BPMs, Melvin troca rapidamente corda dos baixos e música após música, após 3 ou 5 takes de cada música a gente foi desenhando o disco. Começamos gravando "Sempre que eu fico feliz eu bebo" dos amigos do Gramofocas. Em seguida "Este diabo deste traste deste amor". Depois fomos pra "Tornado", "Semi-Vivo", "O último Gol", "3:53". Paramos pra almoçar, voltamos e gravamos "Máquina do Tempo", "Valentina", "Massacre da Serra Elétrica", "Sopa de Agua Viva" e "A Alegria está de volta". No final das contas tivemos que refazer os dois primeiros sons gravados "Sempre que eu fico feliz" e "Esta diabo deste traste" por um probleminha técnico.


Agora é a parte mais tranquila da gravação. Bjorn vai pro estúdio comigo pra avançar nas guitarras base. Neste disco 70% das guitarras base ficarão na mão dele. Eu devo gastar mais tempo fazendo as frases e solinhos de melodia das músicas. Devo também ajudar o Melvin com alguns arranjos de teclado eventualmente.

Na saideira vem os vocais que é a parte mais difícil pra mim da gravação. Estou muito mais satisfeito com os últimos resultados. Valentina e Massacre DEMO já me deixaram satisfeito com os rumos que o vocal vem tomando. Penso em chamar um amigo meu Fabrício, que canta comigo nos Barneys para dar uma força na composição e arranjos de backings, mas nem ele sabe disso ainda.

É isso amigos. Com muita alegria a gente fecha o primeiro dia de gravações e vai contando mais por aqui!

Fiquem ligados e obrigado pelo suporte ao longo destes 13 anos.

Paz e Rock!