6.3.10

Evoluindo



São 2:46 da manhã. Semana puxada de trabalho. Semana puxada. No meio desta semana, tive uma conversa capital (risos) com o Melvin. A conversa originou o post anterior. Acabou com a inércia. Movimento. Hoje to aqui escrevendo com grande satisfação. Já tinha pensado que voltar a escrever no blog sobre o processo do disco, ou pelo menos tentar, teria uma relação com a produtividade. Quanto mais linhas tiver, sinal de que tem coisa acontecendo. E aconteceu. Hoje terminei uma bateria interminável de composição. Tenho músicas suficientes pra mostrar pros CARBONA no domingo e com o aval da rapazeada "passar a régua". Estamos há dois anos ou mais sem lançar disco. Acredito até que 3. Neste período a gente nunca parou de ensaiar, mas diminuiu consideravelmente o número de shows. Neste período, enfrentei uma dificuldade imensa de compor. Chegamos a fazer um disco. Demoramos tanto pra gravar que "não fui mais com a cara dele". Combinei com a galera que este disco seria o disco that should not be. Foi deixado de lado. Estou certo que ali tinham boas canções, mas não rolou. Aceitei o desafio mesmo no meio dessa "seca" de começar do zero. Hoje tenho as músicas que precisamos. As músicas que começaram a nascer numa conversa direta, que remete à origem e a essência da banda. Resumindo: músicas diretas, essenciais, básicas, visitando o espírito Mighty Panorama. As influências do punk rock. Músicas que nascem do prazer de ouvir Ramones, The Queers, Muzzarellas, Groovie Ghoulies dentre outros. O velho espírito de "amo ouvir esses caras" e tem gente que deve curtir nosso som tb, entao bora fazer um disco pra gente se reencontrar no estúdio, bater papo, beber uma gelada e se divertir como nos ultimos 13 anos. Como disse um Melvin, façamos do jeito a gente sempre fez. Pelo menos dessa vez. E assim será. Domingão a gente ensaia. Tenho uma página de caderno com o track list, uma tradição na banda. Nos 8 discos que fizemos, assim foi. Quando chega o caderninho com as musicas escritas, é o embrião. É sinal de que vai andar. Este é um disco que nasce em urgência. Urgência de vontade mesmo. Pela simples vontade de fazer a parada e escrever músicas de rock 3 acordes que é nossa onda. A urgência que ele nasce deve ser a urgência que eu pretendo e acredito que iremos gravar. Vamo nessa. Hora de dormir. Paz e Rock!