19.4.07

A fila anda! E eu adoro!

Acabo de voltar do Botafogo, antiga sede de General Severiano, onde comprei ingressos pra final da Taça Rio. Essa é a única fila do mundo onde eu pareço me sentir bem. É a fila que eu gostaria de enfrentar algumas vezes no ano. A sensação de “estou aqui de novo nessa fila” é estranha e muito boa. As filas se formam nas finais. Quanto mais filas eu enfrentar, mais títulos o Fogão disputará. Simples o raciocício não? Conversa daqui, conversa dali, passam-se os minutos, hoje apenas 45, 50 e pronto! Ingresso na mão. Agora, é só esperar domingo. É incrível, como ir ao Maracanã vai ganhando status de “programa de gala”. Sempre achei que a medida que fosse ficando mais velho, a graça de ir ao estádio fosse diminuir. Ledo engano. A insuportabilidade frenética dos tempos modernos vai transformando o simples e antiqüíssimo programa de ir ao estádio numa das melhores coisas da vida. Não sei se é por causa das tradições, não sei se é pelo fato da arquibancada do estádio promover uma temporário igualdade ( e como sou um otimista – FRATERNIDADE!) , mas de fato, minhas idas ao estádio começam cada vez mais cedo. Saio de casa, paro meu carro, fico na estátua do Belini, tiro fotos, bebo Skol, vejo as pessoas chegando, subo aquela rampa e quando a coisa está começando, pra mim já começou há muito tempo. O time do Botafogo está bem. O time do Botafogo está bem e não perde as coisas que só acontecem ao Botafogo , mesmo bem. Toma dois gols aos dois minutos de um jogo decisivo e depois vira “essa porra” avançando e quase me matando do Coração. Depois que li Febre de Bola de Nick Hornby, fiquei convicto de que se o Hornby fosse brasileiro, febre de bola era sobre o “Fogão”. Aliás, ainda sonho em trabalhar num projeto pra rodar o “fever pitch” numa versão nacional que só caberia mesmo ser com o Botafogo. Neste domingo jogaremos a final da Taça Rio que, com a vitória, nos leva a final do estadual contra o Flamengo que não há como negar que isso caracteriza dois títulos em um só ( risos ). Mas isso tb pouco importa. O que importa é que hoje eu peguei mais uma fila. A fila anda! Paz e Rock! (fota por H.Badke!)