23.11.06

23 de novembro.

Ouvindo Bob Marley pra aliviar a pressão. São 23:50 e estou escrevendo no meu blog. Dia longo. Dia cansativo. Dia corrido. Dia "clichê". Dia Casa-Trabalho-casa. Dia de 14:30 de trabalho. Passei meu dia olhando prum pc, trabalhando num mesmo arquivo que ainda vai me consumir por mais dois dias. No final do dia, 22 hs, enquanto tomava coragem pra levantar e voltar pra casa resolvi abri o globoonline . Geralmente faço isso quando chego pela manhã, mas hoje foi daqueles dias que já fui pensando nos afazeres no carro. Enfim, abro o Globo e de cara vejo que uma mulher foi assassinada no meu bairro com um tiro na cara durante um assalto enquanto entregava seu terceiro pertence sem reagir. Não sei por que cargas dágua, resolvi ler algo que jamais ouso fazer: comentários de leitor. De um lado um idiota com o discurso "mata todo mundo e joga no mar", de outro lado , outro idiota dizendo que as pessoas só se comovem por que ela era rica. E no meio dessa verborragia, eu, tb como um idiota meio atônito, me aprontando pra ir pra casa depois de um dia de 14 hs de trabalho. E eu pensando... eu só quero ir pra casa. O fato violento, a discussão nos comentários tudo muito triste. Um dia daqueles dignos de se ligar pro chefe e dize Alô chefe? Não vou trabalhar... eu vou passar a tarde inteira no Sofá e vou assistir aos filmes da Sessão da Tarde , se for bom te ligo pra contar. No meio da correria do dia ainda parei 10 minutos pra dar uma entrevista pelo telefone para uma rádio Universitária de Goiânia (Obrigado pelo espaço, foi bem legal o bate papo). O Consolo da estória toda é que o rock segue, persiste e eu ando junto com ele. Mas antes de falar de rock, deixa em concluir minhas linhas sobre comentário de leitor. É engraçado como NADA na vida é fácil né? A internet aparece como o expoente máximo da liberdade de expressão, do espaço democrático, da voz pra todos e muitas vezes essa expansão de canais é preenchido por muita baboseira e ignorância. A voz da igualdade, a voz da fraternidade ,a voz da violencia, da intolerancia, todas elas têm vez na internet. Mas enfim, nada no mundo é perfeito. Engraçado que sempre associei o escrever aqui como algo divertido. Parei pra reler rapidamente o texto e achei tudo meio áspero, mas as coisas tb são assim. Agora passemos ao rock, pra falar de coisas boas. Neste sábado estou embarcando pra Goiânia com o CARBONA para mais um show , para mais um festival , para mais uma ida pra Goiânia. Além de tocar, estou animadão para rever o Ratos de Porão. Uma banda que fez parte da minha infância e adolescência , uma das maiores de rock pesado do Brasil. Acho que é isso. Já coloquei na minha bagagem um Mini Marshall que peguei emprestado com um amigo meu na epoca da gravacao do disco e vou aproveitar pra fazer um som sábado, no relax, no quarto de hotel. Essa semana acabou sendo de poucos acordes. Mas tudo bem, recuperarei um por um estes acordes perdidos na semana. Agora é hora de dormir. Amanhã, estou de volta "ao pesado" . Paz e Rock amigos. Muita Paz. Ontem falando com um amigo meu no MSN recebi uma foto sensacional. Dessas que eu fiquei olhando, olhando e pensando que legal. Que momento legal. Velhos amigos, um show longe de casa, uma garrafa na mão, um cover de operation Ivy e eu ali me divertindo a valer.