2.10.06

Bom dia meu Brasil + PLano de Ataque

Bom dia meu Brasil de Collor de Mello, Maluf, Wagner Montes. Meu Brasil de Clodovil e de Celso Russomano! Eita caralha! Vamo que vamo! Vamos nessa falar de banda! Na minha caminhada roqueira acabo assumindo o papel de sou brasileiro não desisto nunca! Mas visto a camisa mesmo. Quando tudo complica eu peço mais complicação por que acho que quanto mais eu fizer mais longe eu vou, mais acordes farei (quis dizer mais do mesmos que eu sei) e mais recompensas terei. Nessa "pegada" sigo fazendo o trabalho. Mas vou te dizer uma coisa, esse encarte do disco está apelidado de encarte JASON! Você mata o desgraçado e ele volta pra assombrar. Neste fim de semana, com o cd já na fábrica sofremos com a volta de JASON. Tivemos que refinalizar a porra toda! Trabalhos no fim de semana, muito boa vontade de Brenda Garret nossa super designer, e pronto tudo resolvido. Ela me mostrou no computador a oitava versão se não me engano. Tudo resolvido até a segunda feira de manhã, quando o encarte resolve assombrar de novo. Problemas , problemas , problemas e lá está ele novamente, pronto para ser produzido. O que consolo é ser uma capa muito bacana, com uma ilustração digna de se fazer posters e colocá-la na parede. "APUROS EM CINGAPURA" uma verdadeira saga com novas estórias musicadas pelos CARBONA, com uma capa pra fãs de quadrinho nenhum botar defeito! E acredito eu de CARBONA tb! Curioso mesmo é essa numeração de arquivos em trabalhos gráficos. Versão 1 arte final. Versão 1 arte final corrigida. Versão 2. 2 arte final. Versão 3,4,5,6,7. Versão 8 nova capa. Versão 8 nova capa corrigida definitiva. Versão 8 corrigida puta quiu pariu foda-se essa merda por que diabos eu resolvi fazer a capa do carbona de graça.PDF que mais poderia . FDP de filhos da puta! Ai ai mundo moderno! Obrigado Brenda. De coração! Espero um dia poder te chamar pra fazer uma capa com uma parruda verba de produção se é que isso ainda existe risos.
Neste fim de semana devorei um livro sobre o 11 de setembro, escrito pelo autor Ivan Sant`Anna . Trata-se do "Plano de Ataque". Uma narrativa que remonta toda trajetória dos 7 anos da "idéia de atacar o world trade center" até a execução do plano. De lá até aqui houve uma enxurrada de títulos no mercado editorial e nunca tinha me interessado tanto a ponto de pegar um deles e ler. Me deparei com esse livro, já tinha passado pelo Caixa Preta do mesmo autor e acabei me envolvendo de forma que acabei com 270 paginas em dois dias. Impossível parar de ler. Um fato que entortou a história totalmente dissecado. Alguns fatos no livro são chocantes como o acompanhamento de pessoas que viveram anos , numa obcessão crescente, dedicados a um projeto que termina com suas mortes. O plano levou anos e os pilotos suicidas conciliavam suas atividades de dia a dia ( mulheres, familias, diversão) com as atividades de um mártir, um kamikaze. Um dos principais envolvidos deixa o líbano como filho de uma elite local moderada, educado em um colégio moderado cuja principal característica era promover a pluralidade religiosa (incluindo cristãos) , bebe cerveja, vida social intensa com a "mulherada" mesmo dentro de uma realidade de Oriente médio, se forma na faculdade vai para a Europa fazer mestrado, se apaixona por uma garota da Turquia, começa a sofrer assédio de religiosos que tinham já como missão recrutar Jovens com aquele perfil ocidentalizado para realizar o ataque. Água mole , pedra dura, passados alguns meses o cara partia pro Afeganistão para campo de treinamento e combate! Um outro aspecto curioso é que a narrativa não é linear. Ele começa com os atentados, volta alguns anos pro recrutamento e a estória vai sendo costurada aos poucos. O autor escolhe alguns personagens, alguns dentro dos vôos, alguns no world trade center, e na medida que o 11 de setembro vai chegando ele vai refazendo os ultimos passos das vitimas ate o fatidico dia, como o cara que tinha o vôo às 10:00 chegou as 8:00 e ouviu o tradicional " SR, nós temos um vôo saindo agora para o mesmo destino Sr, gostaria de trocar?". Incrivel... a visão de vidas totalmente disconectadas que através dos "barbantes" do destino vão se configurando para se encontrar ali naquele dia. Nefasto! Que o bom senso e a paz reine nesse mundo, ou pagaremos todos o preço. Paz e rock amigos, paz e rock!